A regulamentação do mercado de carbono no Brasil e a COP 25

0

O País é protagonista mais uma vez rumo ao cumprimento da proposta de redução de emissões

Com decisões e ações concretas adiadas para 2020, a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP25), que ocorreu no mês de dezembro em Madrid, na Espanha, não alcançou uma conclusão nas negociações, mas, por outro lado, trouxe à tona a importância de se regulamentar o mercado de carbono no Brasil e no mundo.

Para a advogada, especialista em Direito Ambiental, Samanta Pineda, mesmo que esse assunto não tenha caminhado para uma resolução melhor, a discussão durante a conferência entre 197 países, já é positiva para pensar em soluções para o aquecimento global, com a compensação por perdas e danos sofridos por locais afetados pelas alterações climáticas, e as ações para atingimento dos objetivos nacionais da redução de emissão de gases de efeito estufa “O RENOVABio que estimula a substituição de combustíveis fosseis por biocombustível e o Programa ABC (agricultura de baixo carbono) são ações efetivas do Brasil que reduzirão significativamente a emissão desses gases”.

Samanta Pineda, que está sempre envolvida nas causas ambientais, inclusive é uma das profissionais que atuou no Novo Código Florestal, acredita que os planos de ações climáticas que as nações irão enviar, têm um olhar especial para a emissão de gases do efeito estufa pelo ser humano, que está interferindo no mundo. “É preciso que essas nações revejam suas formas de produzir, de consumir e gerar energia, principalmente”, explica ela.

Outro ponto positivo na conferência, de acordo com Samanta Pineda, foi a participação do Brasil. “Com a manutenção das suas metas, sem dúvida são as mais ousadas do mundo porque o Brasil emite apenas 2% dos gases do efeito estufa do planeta, e tem como meta reduzir na ordem de 30% a 40% a emissão”, explica.

 

Samanta Pineda

Além de sócia fundadora do escritório Pineda & Krahn Sociedade de Advogados, com sede em Curitiba e filial em Ribeirão Preto, Samanta é professora convidada no MBA da Fundação Getúlio Vargas (FGV) de São Paulo e de Brasília e do INSPER/SP, onde ministra aulas de Direito Ambiental. É palestrante requisitada em todo o País sobre temas relacionados à sustentabilidade, comentarista do Jornal Terra Viva do grupo Band, e apresenta atualmente o programa Ação Sustentável. Também atuou em Brasília na elaboração do Novo Código Florestal.

Samanta Pineda
        Samanta Pineda
Julgamento Caso Kiss: para Promotor aposentado não houve dolo no caso da boate Kiss
Clique Aqui e Saiba Mais!
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais Aceitar Leia mais