Cassinos no Brasil: da origem aos dias atuais

Você gostaria de escrever e publicar no Âmbito Jurídico? Clique aqui para se cadastrar.

Os cassinos no Brasil já foram sinônimo de luxo, poder e diversão. O até hoje famoso hotel Copacabana Palace foi, originalmente, um cassino. E era o mais famoso deles, apesar de não ser o único ocupante da cena.

Sempre símbolo de status, os cassinos reuniam apenas a elite social, que passava noites a fio jogando, dançando e rindo enquanto assistiam a shows nacionais e internacionais.

Apesar de agradar um grande público, eles também incomodavam muito a parte casta da sociedade. Especialmente a Igreja Católica, que pressionava muito os excessos de alegria que eram frequentes nesses ambientes.

Muito se especula até hoje sobre os reais motivos do fechamento dos cassinos, mas a verdade é que a única coisa que se sabe com certeza é que eles foram, de fato,  ditados como ilegais (pelo menos presencialmente). E assim seguem até hoje. Mas há muito sobre o que se falar desses pontos de encontro da diversão enquanto estiveram presentes em solo brasileiro. Continue a leitura na íntegra para saber mais.

image

A origem dos cassinos

Apesar de hoje serem proibidos, os cassinos tiveram alguns bons anos de glória e legalidade no Brasil. Existiram por 17 anos, aproximadamente, de forma clandestina até que em 1934 ganharam as graças do então presidente Getúlio Vargas.

Getúlio era fã e frequentador dos cassinos e não se opôs a eles enquanto se manteve na presidência. Durante todo o seu período, que antecedeu o mandato do presidente Dutra, os cassinos eram liberados e bastante populares.

Eles não eram apenas uma casa de apostas. Eram vistos como centros culturais onde haviam espetáculos, bons drinques e, claro, a jogatina tão esperada. Todo o mais alto escalão da sociedade era visto por lá, e todos adoravam.

Não existia, realmente, um motivo para que os cassinos fossem fechados, principalmente da forma como foram. Eles funcionavam com total aval do governo, inclusive tendo muitos governantes como espectadores em suas noites de show.

Os cassinos foram um real frenesi que marcou a época. Uma boa temporada onde a diversão aliava cultura e jogos em noites que pareciam nunca ter fim. Mas esse período não durou para sempre. Assim que assumiu a presidência, Dutra mudou completamente o cenário.

A história dos cassinos e a proibição

Você sabe por que os cassinos físicos foram proibidos no Brasil? Bom, imagino que você não faz ideia dos reais motivos para isso acontecer por aqui. Durante o mandato do presidente Dutra, mais especificamente três meses depois de ele assumir o seu cargo, um Decreto-lei foi assinado determinando que o fechamento de absolutamente todos os cassinos acontecesse.

O motivo? Bom, segundo o decreto (que ainda está vigente), é que os cassinos se mostravam “ nocivos à moral e aos bons costumes” da sociedade à época. Com essa decisão, mais de 40 mil trabalhadores perderam seus empregos e o impacto ao turismo e à economia foi imenso. Houve pouco murmúrio na mídia por conta da pouca liberdade de expressão que se tinha naquele momento político.

O sancionamento causou a revolta de boa parte da população, inclusive de muitos empresários que haviam acordos sobre a manutenção do funcionamento das casas de apostas. Hoje, já se somam 76 anos da assinatura do decreto e não há nenhuma movimentação real que reveja o descrito nele. A sociedade evolui, mas, aparentemente, a discussão sobre o assunto “cassino e jogos de azar”, está longe de ter um final. 

E hoje, qual a situação da legalização dos cassinos? O Projeto de Lei está por vir?

Atualmente, tenta-se fazer cair por terra o estabelecido no Decreto-lei que aborda o fechamento dos cassinos. Afinal, 76 anos depois, nem a sociedade é mais a mesma, quem dirá os conceitos de moral e bons costumes.

Claro que esse não é o único argumento que se utiliza para desbancar o veredito de Eurico Gaspar Dutra, mas é um dos bons. O principal argumento para a liberação é o montante de impostos que a reabertura dos cassinos pode proporcionar. Estima-se que, se houvesse hoje a liberação de todos os tipos de jogos de azar, a movimentação seria de mais de 700 mil novos empregos diretos e algo em torno de R$ 70 bilhões de aporte na economia brasileira. O que é um valor considerável! 

A passos de tartaruga, as discussões vão acontecendo, tentando galgar um caminho de sucesso. Enquanto isso não ocorre, observa-se um grupo considerável de potenciais frequentadores de cassinos presenciais migrando para o mundo virtual, onde a oferta é enorme. 

Cassinos online

Com a proibição dos cassinos físicos, por muito tempo, ouviu-se falar de casas clandestinas espalhadas pelo país. Atualmente, com o surgimento e popularização da internet, o cenário mudou.

No mundo virtual, a proibição só ocorre para menores de 18 anos, portanto, aos maiores, a atividade é completamente liberada. Apesar de ser liberado, ele precisa ter sede no exterior e apresentar as licenças específicas para os jogos que oferecer. E é fato que, enquanto o Projeto de Lei 442/91 estiver em trâmite na Câmara dos Deputados, as casas seguem, totalmente à mercê dos órgãos internacionais, sem nenhum tipo de regulamentação local.

São regras simples e fáceis de serem seguidas pelos programadores e donos dos cassinos para que os brasileiros possam frequentá-los. E, ao que demonstram os dados, de fato, o público é um grande frequentador.

Com jogos como blackjack, pôquer, roleta e caça níqueis, os cassinos online têm atraído cada vez mais jogadores. Eles possuem políticas de apostas reais e podem até mesmo oferecer jogos via streaming em alguns casos.

Essa alternativa, que já arrebatou seu espaço dentre os jogos virtuais, proporciona diversão e grandes chances de fazer dinheiro sem precisar nem mesmo sair de casa. E, enquanto o público espera pela legalização e regulamentação deste tipo de jogo, é o que resta para aproveitar!

Se você quiser saber mais sobre cassinos e jogos de azar, por favor visite o Casino BLOG DO LVBET e aumentar seu conhecimento sobre o jogo responsável e divertido.

Você gostaria de escrever e publicar no Âmbito Jurídico? Clique aqui para se cadastrar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

LEITURAS RECOMENDADAS

Dicas para fazer uma boa gestão de contratos

Você gostaria de escrever e publicar no Âmbito Jurídico? Clique aqui para se cadastrar. A gestão de contratos é o processo de gerenciamento que envolve a execução e a análise de contratos, a fim de maximizar o desempenho operacional e

Background check pode diminuir golpes do PIX

Banco Central estuda responsabilizar instituições financeiras e medida reforça necessidade da checagem de antecedentes Você gostaria de escrever e publicar no Âmbito Jurídico? Clique aqui para se cadastrar. Na terça-feira (31/05), o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, declarou