CURSO ENSINA PORTUGUÊS JURÍDICO E PRÁTICA EM REDAÇÃO DE PEÇAS E EM INTERPRETAÇÃO DE DISPOSITIVOS LEGAIS

 Ministrado pelo Instituto Carlos André e direcionado a profissionais do direito, o conteúdo visa atualização e uma melhor Comunicação Jurídica

 

É premissa na área jurídica ter um bom português. O domínio do idioma somado a Legística e interpretação de dispositivos legais na “Era do Neoconstitucionalismo” permite ao profissional da área jurídica ter um diferencial competitivo. Atento a este movimento do mercado, o Instituto Carlos André reformulou e relança dois importantes cursos: “Português Jurídico” e “Prática em Redação de Peças Jurídicas e em Interpretação de Dispositivos Legais”, com início a partir de 15 de agosto, no Instituto Carlos André.

 

“Mudamos o formato dos cursos para conseguir atender a demanda crescente, tanto dos advogados com larga experiência de mercado que buscam atualização, quanto dos jovens profissionais – muitos que estão terminando e os recém-formados. A ideia é abordar de maneira bastante prática a comunicação jurídica contemporânea no de Português Jurídico, quanto os Principais gêneros comunicativos jurídicos na Redação Jurídica”, explica o linguista e professor Carlos André, um dos poucos a atuar na área Legística no Brasil, e autor dos livros “A nova ortografia da língua portuguesa” e “Na ponta da língua”.

 

As inscrições para os cursos já estão abertas. Mais informações: 62 3945-1777.

 

Programa dos cursos

PORTUGUÊS JURÍDICO

 

  1. Que é comunicação jurídica contemporânea?
  2. Formalidades na comunicação jurídica no século XXI
  3. 1.  pronomes de tratamento nos textos jurídicos
  4. 2.2. vocativo nos textos jurídicos
  5. 2.3. fecho nos textos jurídicos
  6. Escolha lexical segundo o Estatuto da OAB
  7. Comunicações em reuniões e audiência
  8. 4.1.  turnos linguísticos
  9. Elementos de modalização na narrativa dos fatos nos textos jurídicos
  10. Elementos linguísticos de coesão e de coerência em textos jurídicos
  11. Paralelismo sintático e semântico em textos jurídicos
  12. Regência em textos jurídicos
  13. Principais verbos jurídicos
  14. Pontuação em textos jurídicos
  15. Concordância em textos jurídicos
  16. Vícios na linguagem jurídica
  17. Curiosidades linguísticas nos textos jurídicos

 

 

PRÁTICA EM REDAÇÃO DE PEÇAS JURÍDICAS E EM INTERPRETAÇÃO DE DISPOSITIVOS LEGAIS

 

  1. A legística e interpretação de dispositivos legais na “Era do Neoconstitucionalismo”

 

  1. Comunicações em reuniões e audiências

2.1 turnos linguísticos

 

  1. Principais gêneros comunicativos jurídicos

3.1. petição inicial

3.2. petição de contestação

3.3.petição de embargos declaratórios

3.4.  petição de apelação

3.5.petição de mandado de segurança

3.6. petição de ações cautelares

 

Público-alvo: Advogados, bacharéis em Direito

Início: 15 de agosto de 2019

Duração: 10 semanas

 

 

Sobre Carlos André e o Instituto

O autor dos livros “A nova ortografia da língua portuguesa” e “Na ponta da língua”, Carlos André representa a OAB Nacional no Senado da República no Acordo Ortográfico, e é Professor de Língua Portuguesa e de Redação Jurídica. Fundador do Instituto Carlos André, centro de excelência em Língua Portuguesa e preparatórios para Admissão à Carreira Diplomática, Pré-vestibular e Assessoria em Português Jurídico, fundado em 2009, é Mestrando em Gramática pela UFMG e em Letras pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Formado em Direito, o autor e professor também é Membro do grupo técnico responsável pelo Manual de Redação Jurídica – OAB.

 

 

Quais são as tecnologias que proporcionam o surgimento de…

A modernização de processos vai de encontro à necessidade de se expandir os negócios e potencializar resultados obtidos através de soluções inovadoras Em tempos...
MariaEduarda
3 min read

Divórcios colaborativos são a melhor forma de separação, afirma…

Advogada Marielle Brito destaca que a medida reduz tempo e burocracia nestes processos O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vem demonstrando o que...
MariaEduarda
58 sec read

Entenda a decisão do STJ que mandou soltar 1100…

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou a soltura de todos os presos condenados por tráfico privilegiado pelo Tribunal de Justiça...
MariaEduarda
1 min read

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido !!