Veículo penhorado é liberado por causa de tratamento médico

A 12ª Câmara do Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, em recente decisão, declarou a impenhorabilidade de veículo utilizado pelo devedor para deslocamento ao tratamento médico. A decisão – em recurso de agravo de instrumento – além de excepcional, foi justa e correta, possibilitando a manutenção do tratamento médico que a parte necessita, conforme destacam Luis Borrozzino, sócio do Miglioli e Bianchi Advogados e sua associada, a advogada Amanda Valentin.

De acordo com a decisão do TJSP, em que pese o veículo não se enquadrar no rol de bens impenhoráveis indicados no Código de Processo Civil, nem ser um bem essencial ao exercício da profissão do seu proprietário, o recurso mereceu provimento por se enquadrar em situações específicas nas quais a Jurisprudência tem reconhecido a possibilidade de mitigação da taxatividade do rol de bens impenhoráveis, quando verificada a essencialidade do bem para fins de manutenção da subsistência do devedor, em observância ao princípio da dignidade da pessoa humana:

“O agravante demonstrou a situação delicada de sua saúde, posto ter sido diagnosticado com Insuficiência Renal Crônica, Hipertensão Arterial Sistêmica e Trombose Venosa Profunda, além de fazer uso de bolsa de colostomia, bem como, também comprovou que a manutenção de sua saúde depende de acompanhamento médico regular, além de tratamentos específicos, realizados em hospitais e clínicas para realização de sessões de hemodiálise”.

Para Luis Borrozzino, a inédita decisão se mostra em sintonia com o STJ e com os princípios constitucionais, especialmente da dignidade da pessoa humana, afinal de contas, reconheceu a impenhorabilidade do veículo para que o tratamento médico do devedor seja mantido em detrimento da dívida cobrada.

 

Legislação sanitária: recomendações para empresários no setor de alimentação

O setor alimentício no Brasil é um dos mais lucrativos e, por isso, um dos favoritos dos empreendedores que querem abrir um novo negócio....
MariaEduarda
3 min read

Aplicativo “Dívida Aberta”: cidadania fiscal ou constrangimento do contribuinte…

Por Julio Gomes da Rocha, Advogado-sócio do escritório Maricato Advogados Associados O governo federal lançou na última semana o aplicativo “Dívida Aberta”, disponível para...
MariaEduarda
1 min read

Depois de recorde de R$ 472,5 milhões em multas,…

Estudo realizado pela Capitólio Consulting apurou que em 2019, a ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar julgou 6.916 recursos de multas e confirmou...
MariaEduarda
1 min read

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *