Quando a seguradora pode negar a indenização do seguro auto?

Envolveu-se em um sinistro e está preocupado com a possibilidade de não ser indenizado corretamente? Acompanhe este artigo e descubra quando a seguradora pode negar a indenização do seguro auto.

Atualmente, contar com um seguro auto é fundamental, não apenas para garantir proteção em casos de subtração do veículo, mas também para garantir menores prejuízos em outros tipos de situações como colisões, enchentes etc.

No entanto, quando contratamos um seguro, mesmo tendo lido a apólice atentamente e ter solucionado todas as questões sobre o assunto, é comum surgirem algumas dúvidas, principalmente depois de um tempo ou quando o segurado se envolve em um sinistro.

Entre essas dúvidas, uma das mais frequentes é sobre quando a seguradora pode negar a indenização do seguro auto.

Se você se envolveu em um acidente ou teve algum problema com seu carro e está preocupado pensando se a seguradora pode ou não negar a indenização no seu caso, acompanhe este artigo.

A seguradora pode negar a indenização do seguro auto?

A primeira coisa que você precisa entender é que sim, a seguradora pode negar a indenização do seguro auto se ela julgar que este é indevido.

Quando contratamos um seguro auto, assumimos um compromisso bilateral com a seguradora. Isso significa que tanto o contratante como o contratado passam a possuir direitos e deveres.

Para que esse contrato passe a valer e você possa usufruir os serviços discriminados na apólice é fundamental realizar o pagamento do prêmio. No entanto, esse não a única providência a ser tomada para que você garanta o cumprimento das coberturas escolhidas.

Existem algumas situações que podem fazer com que a seguradora recuse o pagamento da indenização. Divergências de informações no ato da contratação e infrações ou problemas são alguns exemplos.

Para não correr o risco de se envolver em um problema em quem exista a possibilidade de a seguradora negar o pagamento da indenização é importante sempre estar atento aos detalhes.

Quando a seguradora pode negar a indenização do seguro auto?

Há uma série de situações em que a seguradora pode negar a indenização do seguro auto.

Para te ajudar a saber se o sinistro em que você se envolveu pode ou não ter a indenização negada, preparamos uma lista com os principais motivos que levam a essa negativa. Acompanhe:

  1. Divergências de informações

Esse é um dos motivos mais comuns que levam a negativa do pagamento de indenização do seguro auto. Muitas pessoas, na intenção de conseguir contratar um seguro mais barato, acabam passando informações irreais sofre seu perfil no ato da contratação.

É importante que você não minta no momento da cotação, pois caso você venha a fechar o seguro com a empresa, em um sinistro, todas as informações presentes na apólice serão verificadas. Se a seguradora encontrar divergências, pode se negar a pagar a indenização.

  1. Infrações legais

Se você sofreu um acidente, ou se envolveu em um sinistro onde a responsabilidade foi sua e o acontecimento foi causado, ou de alguma forma está inserido em uma infração legal, a seguradora também pode se recusar a pagar a indenização.

Por exemplo, você se envolveu em uma colisão e foi comprovado que estava dirigindo sob efeito de bebidas alcoólicas.

Ou se você emprestar seu carro para uma pessoa não habilitada ou com a CNH suspensa.

Em ambos os casos, a seguradora também pode negar o pagamento da indenização.

  1. Pagamento atrasado

Se você parcelou o pagamento do prêmio do seguro e se envolveu em um sinistro, a seguradora também tem o direito de negar a indenização. Quando um segurado deixa de pagar o seguro, ele fica descoberto até que o pagamento seja regularizado.

Além dessas situações, em casos onde o sinistro foi provocado de maneira intencional, ou por situações onde o risco de acidente era explicito, ou agravo do risco, como as empresas chamam, também é possível que a seguradora negue a indenização.

Por Jeniffer Elaina, da Smartia Seg

Aplicação horizontal dos direitos fundamentais: uma análise sobre o…

Vanessa Lopes Vasconcelos Francisco Damázio de Azevedo Segundo Ênio Michell Miranda do Nascimento Resumo: O conceito de privacidade foi relativizado com o desenvolvimento da...
MariaEduarda
27 min read

Direito autoral e Inteligência Artificial: uma análise acerca da…

Autora: Rebecca Maria Nogueira de Sousa Orientador: Dr. Rodrigo Vieira Costa Resumo: Na Sociedade Informacional contemporânea, há uma aplicação incrementada de tecnologias para a...
MariaEduarda
33 min read

Promessa de Doação: Aplicação da Tese Doutrinária Intermediária e…

Promise of Donation: Application of The Intermediary Thesis dnd Analysis of Jurisprudence Daniel Menah Cury Soares – Advogado Júnior, graduado pela Universidade Brasil em...
MariaEduarda
36 min read

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *