Faturamento do e-commerce cresce 72% em 2021

O e-commerce já existe no ideal dos compradores desde a popularização da internet, porém, com a pandemia de covid-19, este foi um dos setores que cresceu significativamente por permitir uma compra sem contato físico e, portanto, mais segura em termos de saúde. Somente em 2021, o faturamento do setor cresceu cerca de 72%, tornando-o uma área passível de novos investimentos em todo o país.

 

O e-commerce é, essencialmente, a compra de produtos ou serviços pelas plataformas digitais. De acordo com o advogado e empreendedor, Sérgio Vieira, é possível encontrar diversas vantagens e desvantagens nesse modelo de compra moderno. “Se pensarmos que a internet nos conecta com qualquer lugar do mundo, o e-commerce aproxima quem está distante. Então, quem deseja vender algo consegue disponibilizar o produto ou serviço para uma gama de pessoas muito maior. Ao mesmo tempo, há possibilidade de encontrar pessoas focadas no mal, que podem vender o que não existe e também pessoas que tentam comprar produtos, mas são incorretas nas práticas”, detalha.

 

Atualmente, em um contexto de alterações causadas pela pandemia, o Dr. Sérgio Vieira acredita que há uma forte tendência em promover um modelo de compra e venda híbrido em pequenas, médias e grandes empresas. “O digital também traz a aparência de informalidade. Porém, é necessário compreender que ter um comércio digital não quer dizer estar à margem da legislação, então, obrigatoriamente precisa-se cumprir todos os requisitos necessários para a segurança da loja e do cliente”, alerta o especialista.

 

Porém, o advogado acredita que as possibilidades de crescimento no Brasil já foram melhores. “Quanto mais pessoas utilizando a plataforma, menor são as margens. Para quem está pensando em começar, meu principal conselho é se organizar. Afinal, começar pequeno é o que acontece com todos, mas começar desorganizado é opção de quem está iniciando”, aconselha.

 

Sobre o autor:

Sérgio Rodrigo Russo Vieira é advogado, Sócio Diretor do escritório Nelson Wilians Advogados em Manaus, escritório com matriz em São Paulo/SP e filiais em todos os Estados da Federação.

O advogado tem MBA em Gestão e Negócios ministrado pelo CIESA. É Conselheiro Federal Suplente da OAB Seccional AM pelo triênio 2019/2021, membro da Comissão Nacional de Sociedade de Advogados junto ao Conselho Federal da OAB pelo triênio 2019/2021 e presidente da Comissão de Sociedades de Advogados Seccional AM pelo triênio 2019/2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

LEITURAS RECOMENDADAS

O dever de indenizar por mensagens ofensivas em grupo de aplicativos  

Quer ficar atualizado das principais notícias da semana? Clique aqui para receber atualizações no seu e-mail! Resumo: O presente artigo trata sobre questões relacionadas a forma de utilização dos aplicativos de trocas de mensagens. Será verificada a questão dos direitos