Conciliação extraprocessual

0

Resumo: Este trabalho apresenta os benefícios da resolução de conflitos através das conciliações extraprocessuais promovidas nos Centros Judiciários de Soluções de Conflitos e Cidadania (CEJUSC) e sua demanda na comarca de Varginha/MG.[1]

Palavras-chave: CEJUSC, resolução de conflitos, conciliação extraprocessual.

Abstract: This paper presents the benefits of conflict resolution through extra-procedural conciliation promoted in the Judicial Centers for Conflict and Citizenship Solutions (CEJUSC) and its demand in the region of Varginha/MG.

Keywords: CEJUSC, conflict resolution, extra-procedural conciliation.

Sumário: Introdução. 1. Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania. 2. Demandas Extraprocessuais. 3. Das Sessões Extraprocessuais. 4. Dos Benefícios. Considerações Finais. Referências.

INTRODUÇÃO

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (CEJUSC) é uma iniciativa estabelecida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em sua Política Judiciária Nacional através da resolução nº. 125 de 29/11/2010, com o objetivo de facilitar a resolução de conflitos entre as pessoas.

No CEJUSC os conciliadores são os responsáveis por conduzir as audiências e sessões de conciliações, conforme previsão do Código de Processo Civil em seu artigo 165, §2º. Para atuar nesta função, deve a pessoa interessada atender os requisitos expressos no Código de Processo Civil em seus artigos 167, caput, e 167, §1º.

As audiências e sessões de conciliações baseiam-se em métodos eficazes e são regidas por princípios estipulados na resolução nº. 125/2010, tais como confidencialidade e imparcialidade.

Em Varginha/MG, o CEJUSC atende as necessidades das audiências e sessões de conciliações, entretanto existem poucos pedidos de conciliações, principalmente na ceara extraprocessual.

Necessário enaltecer os benefícios das sessões de conciliações a fim de modificar a cultura litigante empregada pelos operadores do direito e aplicação das novidades advindas pelo novo Código de Processo Civil.

1. CENTRO JUDICIÁRIO DE SOLUÇÃO DE CONFLITOS E CIDADANIA

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania possui como finalidade orientar, facilitar e auxiliar as pessoas a resolverem seus problemas e conflitos. Concomitantemente visa reduzir as demandas judiciais.

Geralmente são instalados nas dependências dos fóruns das comarcas ou instituições parceiras e atendem aos pedidos judiciais e extrajudiciais de conciliações. Fica a critério do Tribunal de Justiça instalar os Centros nas suas comarcas, entretanto o Conselho Nacional de Justiça promove enorme incentivo para que os façam.

Através da Política Judiciária Nacional, o Conselho Nacional de Justiça, estabeleceu a resolução n.º 125/2010 com o intuito de determinar as regras de atuação dos conciliadores e funcionamento dos Centros.

Na comarca de Varginha/MG o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania atende em três locais físicos separados, sendo no “CEJUSC – FACECA” entre 12:00h e 18:00h com as audiências de conciliações das 1ª, 2ª e 3ª Varas Cíveis; “CEJUSC – FÓRUM” entre às 12:00h e 18:00h com as audiências de conciliações da Vara de Família e Sucessões e sessões extraprocessuais esporádicas e, no “CEJUSC – FADIVA” entre às 08:00h e 12:00h com as sessões extraprocessuais e com o setor de cidadania.

2. DEMANDAS EXTRAPROCESSUAIS

No prédio do “CEJUSC – FADIVA” são atendidas as demandas extraprocessuais, e, ocorre também o funcionamento do Setor de Cidadania, sendo este último responsável pela triagem dos atendimentos. Se o caso não atender aos critérios necessários para resolução via extraprocessual, o atendente sugestivamente fornece os endereços do SERAJ – FADIVA, FACECA – EAJAC e da DEFENSORIA PÚBLICA.

Os conflitos agendados para atendimentos extraprocessuais devem possuir os seguintes requisitos:

– Parte promovente ter conhecimento do paradeiro da parte promovida;

– Possibilidade de diálogo entre as pessoas envolvidas;

– Inexistência de processo judicial entre as partes que trate da reclamação;

Apresentada reclamação pelo promovente ao atendente do Setor de Cidadania e identificado todos os requisitos para atendimento extraprocessual, o CEJUSC emite uma CARTA CONVITE ao promovido, no entanto, cabe ao promovente fazer a entrega. Nela haverá o agendamento da sessão extraprocessual com as informações de data, horário, local e documentos necessários. O promovido não é obrigatório comparecer e não será penalizado de nenhuma forma pela ausência.

2. DAS SESSÕES EXTRAPROCESSUAIS

As sessões são conduzidas em sala reservada entre o promovente, promovido e os conciliadores do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania. A presença dos advogados das pessoas envolvidas é fundamental.

Os conciliadores do CEJUSC conduzem as sessões extraprocessuais com o intuito de facilitar o diálogo entre as pessoas. Tratam com imparcialidade, confidencialidade e informalidade todos os aspectos jurídicos necessários para alcançar uma composição. Respeito entre todos é essencial para que a sessão seja produtiva.

Um termo da sessão será redigido para que fiquem expressos os assuntos tratados pelas pessoas, de acordo com a possibilidade de formalização pelo CEJUSC. Os casos que envolvam menores, incapazes ou idosos serão encaminhados ao Ministério Público para parecer e posterior ao Juiz(a) de Direito para homologação. Os termos após homologação tornam-se títulos executivos.

3. DOS BENEFÍCIOS

As conciliações de forma extraprocessual possuem vantagens em comparação com as judiciais, tais como:

– Informalidade: As sessões extraprocessuais são informais, ou seja, não geram provas e não possuem caráter julgador. Além disso, as partes não são obrigadas a formalizarem um acordo.

– Celeridade: O lapso temporal entre o dia do agendamento pelo Setor de Cidadania até o dia da sessão é muito curto.

– Gratuidade: Não existem taxas cobradas pelo CEJUSC para agendamento ou execução da sessão. Os procedimentos não possuem ônus.

– Conscientização: As pessoas envolvidas são conscientizadas pelos Conciliadores da importância do diálogo e delas resolverem seus próprios problemas, a fim de buscarem uma relação saudável entre ambos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania na cidade de Varginha/MG está em pleno funcionamento e disponível para atender a todos que tenham os requisitos mínimos nos horários do seu funcionamento.

No mês de outubro em comparação com setembro de 2017, foi possível constatar um crescimento de 70% (setenta por cento) na procura do CEJUSC para resoluções de conflitos. E 20% (vinte por cento) das pessoas interessadas tiveram sessões agendadas, pois possuíam os requisitos; as demais, o atendente sugestivamente forneceu os endereços do SERAJ – FADIVA, FACECA – EAJAC e da DEFENSORIA PÚBLICA.

Das sessões agendadas, 30% (trinta por cento) obtiveram êxitos nas resoluções dos conflitos através das sessões de conciliações.

Diante dos seus benefícios e resultados, recomenda-se a sua procura para resolução do conflito, sendo uma das alternativas oferecidas pelo Poder Judiciário.

 

Referências
BRASIL. Código de Processo Civil (2015). Lei nº 13.105/2015. Brasília/DF: 2015.
CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Resolução n.º 125/2010.

Nota
[1] Artigo orientado pela Profa. Vânia Guimarães Pinto Coelho, Professora  da Faculdade de Direito de Varginha.

Informações Sobre o Autor

Joel Filipe de Oliveira

Acadêmico de Direito na Faculdade de Direito de varginha


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais Aceitar Leia mais