Muito além da oratória, comunicação de verdade: como a The Speaker treina os grandes líderes do país?

Nos últimos meses, a comunicação se tornou a habilidade mais valorizada e requisitada no mercado. Inclusive, para líderes e CEOs.

Não é segredo para ninguém: hoje, profissionais que não sabem se comunicar bem acabam ficando muito abaixo das exigências do mercado. Um mercado que valoriza, cada vez mais, as chamadas soft skills – habilidades ligadas à inteligência emocional.

Com foco em treinamentos que fogem das regras engessadas e ultrapassadas, a The Speaker treina alguns dos maiores líderes do país. A ideia é ir muito além da oratória e desenvolver uma comunicação de verdade, assertiva, moderna e eficiente.

A empresa de treinamentos em oratória, localizada em São Paulo, é a mais bem avaliada no Google e foi escolhida pela magazine inglesa Boove como uma das melhores do país.

Veja qual é a metodologia utilizada e por que desenvolver a sua comunicação!

O que é comunicação de verdade?

As soft skills são habilidades subjetivas e que, por isso mesmo, não podem ser comprovadas apenas com certificados ou diplomas. Estão ligadas à inteligência emocional e são mutáveis e adaptáveis.

Comunicação de verdade é aquela que foge de conceitos pré-estabelecidos e regras engessadas. Afinal, a comunicação é dinâmica e se transforma constantemente. Basta pensar nos últimos meses: o quanto mudou na comunicação?

Agora, muitas das ações cotidianas são feitas através de uma tela: compra, venda, aulas, discursos… O online ganhou um protagonismo enorme, o que acabou aumentando a tendência de uma comunicação muito mais assertiva e dinâmica: no digital e fora dele.

Empresas de treinamento em oratória precisam, então, considerar toda essa agilidade. Caso contrário, permanecem estacionadas em um contexto ultrapassado. É esta a proposta da The Speaker: focar na comunicação de verdade.

Liderar é comunicar: os líderes que treinam com a The Speaker

Se bem é verdade que as transformações recentes na comunicação chegaram para profissionais de todos os cargos, os líderes foram alguns dos mais impactos por essas mudanças.

Adaptar-se ao online, praticar princípios da Comunicação Não Violenta, lidar com as redes sociais e a crescente tendência de humanização das marcas. Esses e outros desafios fazem com que executivos e C-levels desenvolvam sua comunicação.

A The Speaker é pioneira no âmbito corporativo, direcionado a CEOs especificamente. A empresa criou soluções específicas para esse público e é responsável por treinar a comunicação de nomes como Gustavo Montezano (presidente do BNDES), Cesario Nakamura (CEO da Alelo), Cristopher Vlavianos (CEO Comerc Energia) e Mauro Aguiar (presidente do Colégio Bandeirantes).

Liderar é comunicar. A liderança está na capacidade de persuadir, fazer apresentações de impacto, expressar com assertividade e tantas outras competências da comunicação e oratória.

Longe de regras engessadas: como são os treinamentos personalizados da The Speaker?

A procura por treinamentos em oratória disparou em 2020 e em 2021, fruto da necessidade de migrar rapidamente para o online e, ainda, da crescente valorização das habilidades de comunicação no mercado de trabalho.

Com isso, a oferta de cursos também cresceu. No entanto, para que um treinamento seja, de fato, eficiente, é preciso considerar as especificidades do aluno, entender suas demandas mais urgentes e elaborar um plano estratégico de evolução.

Na The Speaker, foram desenvolvidas soluções personalizadas. Seja de maneira individual ou em turmas reduzidas, o que se faz é personalizar ao máximo o aprendizado, elevando a sua eficácia e eficiência.

Com base em feedbacks constantes, análises de evolução e em potenciar pontos fortes, a The Speaker se diferencia pelos treinamentos humanizados. Segundo a empresa, a comunicação é troca e é essencial considerar o indivíduo.

Por que desenvolver a comunicação?

Mas, afinal, por que desenvolver a comunicação? Por muito tempo, pensar em oratória era pensar em profissões específicas: advogados, jornalistas, apresentadores ou publicitários, por exemplo. Hoje, não.

Neste mundo onde absolutamente tudo comunica, ter uma boa oratória passou a ser indispensável para todos os profissionais, de todos os nichos, áreas e cargos. Isso se dá, em grande parte, pela mudança na relação entre empresa e consumidor.

Com a internet e as redes sociais especificamente, essa relação mudou. O que se pede, atualmente, é uma humanização muito maior das marcas e uma proximidade entre elas e seu público-alvo. Nesse sentido, a comunicação é determinante.

Comentários (0)
Adicionar comentário