Consumidor – garantia na aquisição de produtos e na contratação de serviços

Todo produto adquirido ou serviço contratado pelo Consumidor lhe garantem inúmeros direitos, muitos deles elencados no Código de Defesa do Consumidor. Entre estes direitos, destacam-se, entre outros, o direito de proteção da vida, saúde e segurança contra riscos e danos provocados no fornecimento de produtos e na prestação de serviços, o direito de informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade e preço, bem como sobre os riscos que apresentem, o direito de proteção contra a publicidade enganosa e abusiva, métodos comerciais coercitivos ou desleais, bem como contra práticas e cláusulas abusivas ou impostas no fornecimento de produtos e serviços, o direito à efetiva reparação de danos patrimoniais e morais.

Uma vez sendo considerado viciado, inadequado, defeituoso, impróprio o produto adquirido ou o serviço contratado pode o Consumidor reclamar perante o fornecedor do produto ou prestador do serviço. 

Esse conteúdo ajudou você? Está precisando comprar um livro?  Clique AQUI e vá direto para Livraria do Âmbito Jurídico!

Esta reclamação, se o vício for aparente ou de fácil constatação, caduca em trinta (30) dias para o produto ou o serviço não-duráveis, e em noventa (90) dias, tratando-se de  produto ou serviço duráveis, iniciando-se a contagem destes prazos a partir da entrega efetiva do produto ou do término da execução dos serviços.

Se o vício verificado pelo Consumidor for oculto ou de difícil constatação o prazo decadencial de trinta (30) ou noventa (90) dias para que seja feita a reclamação inicia-se no momento em que ficar evidenciado o vício, nada se relacionando este prazo com a entrega efetiva do produto ou o término da execução dos serviços.

Para produtos adquiridos por correspondência, inclusive e-mail, internet, telefone, fax, o Consumidor tem sete (07) dias para devolver o produto sem qualquer justificativa, iniciando-se a contagem para o arrependimento a partir da compra do produto, quando o produto é recebido pessoal e diretamente pelo Consumidor nesta ocasião, ou a partir da entrega do mesmo ao Consumidor, permanecendo íntegros os prazos para reclamação anteriormente informados, unicamente a dependerem da natureza do produto ou serviço e da natureza do vício.

No entanto, malgrado a tutela conferida ao Consumidor pelo legislador, para que possamos diminuir o risco de maiores incômodos, necessário que o Consumidor atente para as seguintes orientações:

● peça sempre a NOTA FISCAL, ou o CONTRATO e guarde-os para eventual reclamação por vício do produto adquirido ou do serviço prestado;

● exija do fornecedor do produto ou do prestador do serviço todas as informações e condições quando da contratação, se possível por escrito;

● todo pagamento feito pelo produto adquirido ou pelo serviço prestado deve ser documentado: exija sempre recibo;

● sempre que possível faça um teste no produto e analise-o com muita atenção na frente do fornecedor ou do prestador de serviço;

● toda vez quer for concedida garantia pelo fornecedor do produto ou do serviço exija o TERMO ou o CERTIFICADO DE GARANTIA (esta não se confunde com a garantia legal);

● leia com muita atenção o manual de instruções antes do uso do produto adquirido;


Informações Sobre os Autores

Danilo Alejandro Mognoni Costalunga

Advogado em Porto Alegre – RS, professor de Direito no UniRitter, Membro Efetivo do IBDP – Instituto Brasileiro de Direito Processual, Membro Honorário da ABDPC – Associação Brasileira de Direito Processual Civil, Especialista em Direito Processual Civil, Mestrando em Direito pela PUCRS.

Claudiran Pereira Nunes

Advogado.


Esse conteúdo ajudou você? Está precisando comprar um livro?  Clique AQUI e vá direto para Livraria do Âmbito Jurídico!

O Inferno São os Outros

Se fizéssemos uma lista das pessoas que odiamos a nossa volta qual seria o tamanho dessa lista? A verdade é que muitas vezes não...
MariaEduarda
2 min read

Da Negação da Alteridade a Violência: Uma Reflexão Sobre…

Luiz Tiago Vieira Santos   Esse conteúdo ajudou você? Está precisando comprar um livro?  Clique AQUI e vá direto para Livraria do Âmbito Jurídico!...
MariaEduarda
7 min read

A “cacocracia” brasileira e os “vinte centavos” indignação democrática:…

"Puedes engañar a todo el mundo algún tiempo. Puedes engañar a algunos todo el tiempo. Pero no puedes engañar a todo el mundo todo...
AmbitoJuridicoOld
8 min read

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *