Artigo 1.348 do Código Civil – as obrigações do síndico

0

O Artigo 1.348 está inserido na Parte Especial do Código Civil brasileiro, no LIVRO II – Do Direito de Empresa, TÍTULO III – Da Propriedade, CAPÍTULO VII – Do Condomínio Edilício e Seção II – Da Administração do Condomínio.

O Código Civil é o diploma legal que agrupa de forma sistemática as normas relativas às relações jurídicas de natureza privada e que regulamenta os direitos e deveres que regem as pessoas, os seus bens e as relações entre elas.

Desse modo, o Código Civil brasileiro dispõe-se a regular, em seu Artigo 1.348, as competências do síndico, ou seja, as competências daquela pessoa escolhida para tratar dos interesses e da administração de um imóvel.

O síndico é o representante legal do condomínio, sendo o principal responsável pela sua administração, além disso o síndico deve atender às questões financeiras, à ordem, ao bom funcionamento, à manutenção, à segurança e à limpeza das áreas comuns do edifício.

De acordo com o Artigo 1.347 do Código Civil brasileiro, qualquer pessoa pode exercer essa função, podendo ser um síndico profissional (contratado) ou um síndico morador.

O síndico morador é aquele que mora no condomínio e assume a responsabilidade pela gestão do condomínio. Já o síndico profissional exerce a atividade como profissão, os moradores escolhem um indivíduo que não é morador para administrar o condomínio ou contratam uma agência especializada na terceirização de serviços condominiais.

Agora seguiremos para análise do Artigo 1.348 do Código Civil, que assim determina:

 

“Art. 1.348. Compete ao síndico:

I – convocar a assembléia dos condôminos;

II – representar, ativa e passivamente, o condomínio, praticando, em juízo ou fora dele, os atos necessários à defesa dos interesses comuns;

III – dar imediato conhecimento à assembléia da existência de procedimento judicial ou administrativo, de interesse do condomínio;

IV – cumprir e fazer cumprir a convenção, o regimento interno e as determinações da assembléia;

V – diligenciar a conservação e a guarda das partes comuns e zelar pela prestação dos serviços que interessem aos possuidores;

VI – elaborar o orçamento da receita e da despesa relativa a cada ano;

VII – cobrar dos condôminos as suas contribuições, bem como impor e cobrar as multas devidas;

VIII – prestar contas à assembléia, anualmente e quando exigidas;

IX – realizar o seguro da edificação.

  • 1º Poderá a assembléia investir outra pessoa, em lugar do síndico, em poderes de representação.
  • 2º O síndico pode transferir a outrem, total ou parcialmente, os poderes de representação ou as funções administrativas, mediante aprovação da assembléia, salvo disposição em contrário da convenção.”

 

Art. 1.348. Compete ao síndico: I – convocar a assembléia dos condôminos:

O síndico é responsável por convocar a assembleia de condôminos. A assembleia é o local onde as decisões do condomínio devem ser tomadas, como a aprovação de orçamentos, as contribuições dos condôminos, a prestação de contas, as eleições e as alterações no regimento interno. É obrigação do síndico convocar todos os membros do condomínio para a assembleia, sejam eles moradores ou proprietários de unidades.

 

Art. 1.348. Compete ao síndico: II – representar, ativa e passivamente, o condomínio, praticando, em juízo ou fora dele, os atos necessários à defesa dos interesses comuns:

O síndico deve representar os interesses e direitos da coletividade condominial, praticando os atos necessários para defesa dos interesses comuns. Além disso, nas ações movidas contra o condomínio, o síndico será citado e tem poderes para representar e defender o condomínio em juízo ou extrajudicialmente, quando este se apresentar como autor ou como réu.

 

Art. 1.348. Compete ao síndico: III – dar imediato conhecimento à assembléia da existência de procedimento judicial ou administrativo, de interesse do condomínio:

O síndico deve buscar ao máximo a participação de todos os condôminos na discussão das medidas a serem tomadas para proteção dos interesses comuns do condomínio, devendo informá-los, por meio de assembleia, da ocorrência de procedimento judicial ou administrativo.

 

Art. 1.348. Compete ao síndico: IV – cumprir e fazer cumprir a convenção, o regimento interno e as determinações da assembléia:

O síndico deve respeitar e fazer respeitar o que está determinado na convenção, regimento interno e determinações da assembleia, essa é uma das formas de manter a harmonia dentro do condomínio, pois exige o respeito mútuo às normas. Além disso, o síndico é o responsável por tomar as decisões em caso de descumprimento pelos demais condôminos.

 

Art. 1.348. Compete ao síndico: V – diligenciar a conservação e a guarda das partes comuns e zelar pela prestação dos serviços que interessem aos possuidores:

O síndico deve zelar pelas áreas comuns do condomínio, tendo a obrigação de promover as obras necessárias para conservação da estrutura física ou a manutenção dos serviços necessários ao bem-estar de todos os condôminos. Em caso de má gestão na conservação e guarda das partes comuns do condomínio ou descontinuidade na prestação dos serviços essenciais, o síndico poderá responder civil ou criminalmente por suas ações ou omissões.

 

Art. 1.348. Compete ao síndico: VI – elaborar o orçamento da receita e da despesa relativa a cada ano:

O síndico é o responsável pela administração financeira do condomínio, devendo elaborar o orçamento da receita e da despesa relativa a cada ano. O planejamento financeiro e a previsão orçamentária devem também atender aos interesses da coletividade

 

Art. 1.348. Compete ao síndico: VII – cobrar dos condôminos as suas contribuições, bem como impor e cobrar as multas devidas:

O síndico deve utilizar os mecanismos necessários para prevenir a inadimplência, visando sempre o bom funcionamento do condomínio. A cobrança das contribuições e multas devem ser realizadas dentro dos meios legais e o síndico que perdoa juros e multa dos condôminos inadimplentes, fica responsável pelo pagamento do que não foi cobrado.

 

Art. 1.348. Compete ao síndico: VIII – prestar contas à assembléia, anualmente e quando exigidas:

O síndico deve apresentar aos condôminos as movimentações financeiras do condomínio. Essa prestação de contas deve ser realizada na Assembleia Geral Ordinária, onde o síndico irá comprovar e documentar todas as despesas condominiais.

 

Art. 1.348. Compete ao síndico: IX – realizar o seguro da edificação.

O síndico deve realizar a contratação do seguro da edificação ou renovar o contrato do seguro já contratado se este continuar garantindo a cobertura integral do condomínio. O seguro da edificação é uma garantia contra o risco de incêndio ou destruição, total ou parcial do condomínio.

 

Art. 1.348. […] § 1º Poderá a assembléia investir outra pessoa, em lugar do síndico, em poderes de representação. § 2º O síndico pode transferir a outrem, total ou parcialmente, os poderes de representação ou as funções administrativas, mediante aprovação da assembléia, salvo disposição em contrário da convenção:

Por fim, os poderes de representação podem ser transferidos para terceiros, seja a pedido do síndico ou por deliberação da assembleia. Além disso, o síndico poderá pedir que a assembleia autorize a transferência de funções administrativas, totais ou parciais a terceiros. Tal determinação advém da necessidade do síndico contar com uma assessoria para a divisão de tarefas, com o objetivo de tornar a administração do condomínio mais eficaz.

 

Você quer atrair muitos clientes para o seu escritório e ganhar mais dinheiro?
Clique AQUI e participe gratuitamente da Semana do Marketing Jurídico!
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais Aceitar Leia mais