Justiça pioneira

0

A Justiça do DF está de parabéns, ao
implementar a lei, recém promulgada, que reestrutura o Judiciário local, e seu
presidente, o Desembargador Gonçalves, ao entregar os dez primeiros juizados
especiais, dos sessenta previstos, oferece um novo alento ao pobre e sofrido
povo, que não pode e não deve desacreditar esse Poder.

É o momento oportuno, para o titular de direitos estar certo de que o Estado não o
abandona.

Espera-se, todavia, que o bom senso
sobreviva à teia burocratizante que, à vezes, toma
conta de seres bem intencionados, pondo tudo a perder.

E, assim, uma grande idéia
transforma-se em mais um pesadelo, com uma justiça tardia e sonolenta. A
oralidade e a presteza são os ingredientes necessários, que não podem faltar.

Com certeza, juntamente, com o Juízo
Arbitral, já em funcionamento, a população poderá orgulhar-se de aqui viver,
visto que, em nenhuma outra parte do País, vive-se tão bem
quanto aqui, já pelas largas e amplas avenidas, pelo verde que abençoa o
brasiliense no tórrido e seco clima, próprio da região, pelo futuro que o
espera, nesta abençoada terra, planejada e construída pelo gênio de JK, 
que só aguarda de seus filhos e dos pósteros o
aprimoramento de sua obra, o que já está acontecendo, com o metrô e os
belos e “inteligentes prédios” ornando e enriquecendo a cidade.

E um dos pressupostos do bem viver é a
tranqüilidade e a segurança de que seus direitos serão prontamente restaurados,
quando violados, neste limiar do século XXI,  em que a comunicação e os
negócios entre os seres humanos se fazem  em questão de segundos.


Informações Sobre o Autor

Leon Frejda Szklarowsky

escritor, poeta, jornalista, advogado, subprocurador-geral da Fazenda Nacional aposentado, especialista em Direito do Estado e metodologia do ensino superior, conselheiro e presidente da Comissão de Arbitragem da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Distrito Federal, juiz arbitral da American Arbitration Association, Nova York, USA, juiz arbitral e presidente do Conselho de Ética e Gestão do Centro de Excelência de Mediação e Arbitragem do Brasil, vice-presidente do Instituto Jurídico Consulex, acadêmico do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal (diretor-tesoureiro), da Academia de Letras e Música do Brasil, da Academia Maçônica de Letras do Distrito Federal, da Academia de Letras do Distrito Federal, da Associação Nacional dos Escritores, da Academia Brasileira de Direito Tributário e membro dos Institutos dos Advogados Brasileiros, de São Paulo e do Distrito Federal, Entre suas obras, destacam-se: LITERÁRIAS: Hebreus – História de um povo, Orquestra das cigarras, ensaios, contos, poesias e crônicas. Crônicas e poesias premiadas. JURÍDICAS: Responsabilidade Tributária, Execução Fiscal, Medidas Provisórias (esgotadas), Medidas Provisórias – Instrumento de Governabilidade. Ensaios sobre Crimes de Racismo, Contratos Administrativos, arbitragem, religião. Condecorações e medalhas de várias instituições oficiais e privadas.


Você quer atrair muitos clientes para o seu escritório e ganhar mais dinheiro?
Clique AQUI e participe gratuitamente da Semana do Marketing Jurídico!
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais Aceitar Leia mais