Reforma Trabalhista. O que mudará em Novembro/2017

0

Resumo: Este artigo aborda de forma comparativa a Consolidação das Leis do Trabalho em vigência atualmente, sob a Lei nº. 5.452/1943, e o Projeto de Lei da Câmara nº. 6787/2016, aprovado pelo Presidente da República, Dr. Michel Temer, em 20/07/2017, que entrará em vigor em novembro/2017.

Palavras-chave: Reforma Trabalhista. CLT. Mudanças. Direito do Trabalho.

Abstract: This article approaches in a comparative way the Consolidation of Labor Laws currently in force, under Law nº. 5452/1943, and the Bill nº. 38/2017, approved by the President of the Republic, Dr. Michel Temer, on 07/20/2017, which will come into force in November/2017.

Keywords: Labor Reform. Consolidation of Labor Laws. Changes. Labor Law.

Sumário: Introdução. 1. Comparativo – CLT Atual e Após Novembro/2017. 2. Conclusão. 3. Referências.

Introdução: Este artigo foi elaborado utilizando a Consolidação das Leis do Trabalho em vigência, em comparação com o Projeto de Lei da Câmara nº. 38/2017, que foi sancionado pelo Presidente da República, Dr. Michel Temer, e que passará a ter vigência em novembro/2017. O objetivo do artigo elaborado é auxiliar os profissionais do direito, bem como a sociedade como um todo, a entenderem de forma simples e objetiva, as principais mudanças que ocorrerão nas relações de trabalho e emprego, bem como no aspecto processual. Desse modo, foram identificados por temas, os assuntos em que haverá as modificações, sempre comparando a CLT atual com a que entrará em vigência em novembro/2017.

1. Comparativo – CLT Atual e Após Novembro/2017.

Conclusão: A pesquisa desenvolvida no artigo é de que, ao contrário da imagem passada a sociedade, a reforma trabalhista sancionada pelo Presidente da República, Dr. Michel Temer, não será prejudicial ao empregado de forma total, uma vez que com a comparação realizada, pode-se verificar que muitas modificações vieram apenas para regulamentar o que ocorre na prática trabalhista atualmente e, muitas outras, vieram para dar segurança jurídica às empresas, bem como instigar a sociedade a cobrar dos Sindicatos Profissionais o exercício do papel para o qual foram criados, ou seja, de defender e lutar pelos direitos dos trabalhadores daquela determinada categoria econômica, vez que com a nova legislação, o negociado prevalecerá sobre o legislado.

Referências:
Lei nº.  5452/1943 – Consolidação das Leis do Trabalho;
Projeto de Lei nº. 6787/2016;
Parecer do Relator do Projeto, Dr. Rogério Marinho;
Projeto de Lei da Câmara nº. 38/2017;
Parecer do Relator do Projeto, Dr. Ricardo Ferraço;
DUARTE, Adauto; Relações do Trabalho Presente e Futuro; Ed. LTR; 2017.

Informações Sobre o Autor

Daiane Regina Ribeiro Sanches

Mestranda em Direito do Trabalho pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo/SP PUCSP especialista em Direito Material e Processual do Trabalho pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo/SP PUCSP e especialista em Direito Previdenciário pela Escola Paulista de Direito

Você quer atrair muitos clientes para o seu escritório e ganhar mais dinheiro?
Clique AQUI e participe gratuitamente da Semana do Marketing Jurídico!
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais Aceitar Leia mais