Uniões homoafetivas: Uma omissão injustificável

0

Se a realidade social impôs o
enlaçamento das relações afetivas pelo Direito de Família e a moderna doutrina
e a mais vanguardista jurisprudência definem a família pela só presença de um
vínculo de afeto, devem ser reconhecidas duas espécies de relacionamento interpessoal: as relações heteroafetivas
e as relações homoafetivas.

Mudaram os paradigmas da família e o
casamento deixou de ser seu traço identificador, com  precípua
função procriativa. Quer pelo surgimento dos métodos
contraceptivos, quer pela evolução da engenharia genética, desatrelaram-se os
conceitos de sexo, casamento e reprodução. As legislações do mundo inteiro vêm
regulamentando as relações de pessoas do mesmo sexo e a própria jurisprudência
brasileira já reconhece  sua existência, ora as definindo como sociedade
de fato, ora como união estável.

Assim é de todo descabido  ter o
novo Código Civil silenciado sobre os vínculos  que não se definem pela
diferença do sexo do par. Mesmo  para quem vê óbice constitucional
para  identificar tais uniões como entidade familiar, é imperioso
emprestar-lhes juridicidade. Como há mais de cinco anos  tramita
projeto de lei que busca inserir no âmbito jurídico a chamada “parceria
civil registrada”, não se justifica sua exclusão no estatuto codificado
recém aprovado.

Que ao menos durante o período da vacatio legis se busque corrigir
esta omissão nitidamente preconceituosa. Somente assim se estará  dando
eficácia social à garantia constitucional de igualdade, pressuposto da
liberdade individual e base do estado democrático de direito.

 


 

Informações Sobre o Autor

 

Maria Berenice Dias

 

Advogada, Ex-Desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Vice-Presidente Nacional do Instituto Brasileiro de Direito de Família – IBDFAM

 


 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais Aceitar Leia mais