Clientes: uma relação fundamental para as sociedades de advogados

0

Quanto
mais distante de conhecer as necessidades reais de seus clientes, mais próximo
do caos os advogados estarão. É como Huxley profetiza em sua obra “Admirável
Mundo Novo”
, uma sociedade reproduzida em laboratórios genéticos e dividida
em castas sociais. Isto, aplicado em nosso caso, significa que é urgente criar
uma cultura de diferenciação caso a caso utilizando todos os recursos
disponíveis como o relacionamento sofisticado com clientes e a criação de um
canal permanente de comunicação por meio da internet. O advogado deve
colocar-se no lugar do cliente, considerar os argumentos corretos, sem falsas
promessas, para uma proposta irrecusável. Por sua vez, a internet é um
instrumento fundamental de pesquisa das necessidades dos clientes, coleta de
informações para reuniões e, principalmente, uma poderosa maneira de manter a
comunicação constante, direta e eficiente com nossos parceiros. Nosso objetivo
com a internet é criar um conjunto de serviços destinado aos clientes já
existentes, pois dificilmente alguém irá se decidir a contratar um advogado
apenas por seu site. Agora, é lógico que a página deve ser bem desenvolvida,
clara, rápida e útil, pois tudo deve depor favoravelmente para a nossa empresa
com bom gosto e senso de estética, privilegiando a informação. Todo site de
empresas jurídicas deve ter funções de atendimento ao cliente como a consulta
online de processos, newsletter quinzenal, informações gerais, um sistema de
perguntas e respostas, matérias de interesse do cliente e com linguagem
acessível. Uma outra inovação que poderia ser implementada é o chat com um
atendente online para agilizar as conversas e poupar tempo dos advogados.

A verdade
é que não se pode ofertar um serviço de qualidade sem utilizar as ferramentas
da internet para o relacionamento com os clientes e, principalmente, o
fornecimento de informações. Nada irrita mais um cliente que a falta de
informações na prestação de um serviço jurídico ou, o que é pior,  a necessidade de sempre ele ter que ir atrás
do advogado para saber como as coisas estão se encaminhando. Assim, fazendo o
correto uso da rede mundial, poupa-se tempo, reduz-se as ligações telefônicas e
aumenta-se a satisfação do cliente.

Compreendido
que a internet é um instrumento de relacionamento e geração de informação, vamos
agora analisar como o processo de decisão para a compra de serviço ocorre,
reconhecendo que o cliente leva em consideração alguns fatores primordiais
antes de assinar um contrato:

O que
o cliente leva em conta para a escolha de um advogado?

·
Referência e indicação de conhecidos;

· Experiências anteriores do profissional e seu histórico;

· Firmeza e conhecimento da matéria;

· Carteira já estabelecida de clientes;

· Nível de comprometimento do profissional com o seu problema;

· Proposta financeira justa, de acordo com sua possibilidade (ele precisa
perceber que está pagando o preço certo);

· Tangibilidade Física: localização, estrutura e apresentação adequadas;

· Tecnologias empregadas para o acompanhamento processual;

· Qualidade perceptível;

· Atitudes pessoais dos funcionários;

· Empatia, descrição e elegância do advogado: qualquer exagero deve ser
evitado;

· Estratégia de marca;

A
somatória dos itens acima colaboram para que o cliente possa formular o juízo e
consolidar uma opinião firme sobre o profissional que pretende contratar. A
compreensão do comportamento dos consumidores constitui a base de sustentação
dos programas de marketing bem sucedidos. A compreensão das necessidades, dos
desejos e do comportamento de compra das empresas e dos clientes-alvo permite a
formulação de programas de comunicação mais eficazes.

 

4194a

 

Atitudes
práticas a serem tomadas:

1 –
Desenvolver uma política de constante comunicação com o mercado, funcionários e
clientes estabelecidos;

2 –
Estabelecer uma cultura de inovação, criando novos produtos e serviços, teses,
padrões de qualidade na construção gradual da excelência;

3 – Antes de buscar incansavelmente novos
clientes, pergunte-se: Já fiz tudo para atender minha carteira ativa,
satisfazendo todas as suas necessidades?

Perguntas
chaves para o advogado refletir:

· Quem
é o seu cliente?

· Como
você se relaciona com seus clientes?

· Como
os mantém informados? Como estou utilizando a internet?

· Qual
a política de relacionamento com o cliente?

· Que
equipamentos são utilizados em seu atendimento?

· Como
seria possível manter um vínculo com ele mensalmente?

· O que estou fazendo para promover minha
carreira e tornar-me visível no mercado?

Ao desenvolver uma proposta, o advogado necessita
estudar o argumento definitivo, forte que irá causar o efeito da persuasão. A
comunicação é a arte de persuadir, criar uma argumentação própria. Apresentamos
abaixo uma outra visão estratégica da forma como o cliente contrata os
serviços.

O processo de decisão para a compra de um serviço:

Caso
desejem realmente ofertar seus serviços de maneira eficaz, os advogados deverão
conhecer o processo de raciocínio de um cliente para a tomada da decisão
efetiva de contratá-lo.

a) Identificação
das Necessidades
¾ O processo de compra do serviço começa no momento
em que o cliente percebe uma necessidade ou um problema.

b)
Busca de Informações
¾ uma vez identificada a necessidade, a pessoa
poderá ou não buscar informações sobre a maneira de atendê-la. A busca ativa de
informações envolve a coleta intencional de dados. Uma das fontes dessa coleta
de dados é a chamada busca interna. A busca interna ocorre na memória da
própria pessoa, recordando-se de nomes mais fortes (marcas) na área que esteja
especializada a resolver o seu problema. Estas fontes poderão ser pessoais
(família, amigos ou vizinhos), comerciais (propaganda, entidades profissionais
ou outros profissionais que trabalham em áreas relacionadas) e públicas
(mídia). Essas informações poderão ajudar a empresa prestadora de serviços
profissionais  a desenvolver e veicular
comunicações mais eficazes. Por isso que a força de uma marca e clientes muito
bem atendidos trazem retorno para o escritório.

c) Avaliação
das Alternativas
¾ a busca de informações irá permitir ao cliente
reduzir os profissionais disponíveis a um conjunto de escolhas.

d) Compra
¾ a avaliação das alternativas levará à identificação do prestador de
serviços escolhidos. Pode-se elaborar com antecedência argumentos capazes de
afastar qualquer ansiedade de último minuto. Cabe a sensibilidade do advogado
para aprimorar a argumentação e conduzir ao fechamento do contrato.

e) Avaliação
pós-compra
¾ Depois de comprar e utilizar um determinado
serviço, o cliente revisará suas opiniões sobre os prestadores de serviço e
formará algum julgamento geral de satisfação ou insatisfação.

Segue aqui uma pequena lista de
questionamentos:

· Como os clientes chegam
até você?

· Quais os principais
passos no processo decisório?

· Quais as principais
decisões?

· Como posso utilizar a
internet no processo de pesquisa

· Quem está envolvido no
processo?

· Quais as principais
influências?

· Quem inicia o contato?

· Que informações são
necessárias para chegar-se às decisões?

· Que fatores são
considerados como decisivos na seleção e avaliação de desempenho de firma?

· Qual o critério de
avaliação do desempenho em relação à concorrência?

· Quais as necessidades
dos clientes, incluindo considerações na compra, expectativas e hábitos?
Quantos decidem? Como chegar até eles?

E, para finalizar este artigo, irei atualizar o
conceito de marketing jurídico criado por mim em 1998 e que tantas modificações
tem causado nos sistemas de comunicação dos escritórios brasileiros, provocando
atitudes em direção à modernização do pensamento gerencial.

Conceito
de Marketing Jurídico:

São todos os esforços estratégicos e
comunicacionais para ofertar serviços de qualidade, criados para suprir
necessidades e desejos do cliente, utilizando os instrumentos de marketing de
acordo com o Código de Ética da OAB. O marketing jurídico bem realizado deve,
na realidade, influir em como os clientes percebem o escritório, e essa
percepção é que irá gerar uma imagem positiva ou negativa.

 


 

Informações Sobre o Autor

 

Rodrigo Bertozzi

 

sócio da Selem, Bertozzi & Consultores Associados, especializado em escritórios de advocacia. Administrador e MBA em marketing. Escritor nascido em Franca (SP), é autor dos livros Elias Poe, Depois da Tempestade, Um Futuro Perfeito, O Despertar, Marketing Jurídico, A Reinvenção da Advocacia, Revolution Marketing Place e O Senhor do Castelo.

 


 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais Aceitar Leia mais