8 fatos para entender como funciona o seguro de moto

Receba conteúdos e matérias com os maiores especialistas de Direito do Brasil

Quer ficar atualizado das principais notícias da semana? Clique aqui para receber atualizações no seu e-mail!

Querer contratar um seguro de moto e se ver imerso em dúvidas, por não entender como esse seguro realmente funciona, é perfeitamente normal. Afinal, são inúmeras as informações que dizem respeito a ele, e saber exatamente qual seguro combina mais com as suas necessidades de segurança não é necessariamente uma tarefa rápida e fácil.

Pata te ajudar listamos, abaixo, os 8 principais fatos que você deve conhecer, a respeito desse seguro, para ter um maior entendimento sobre seu funcionamento.

Confira!

Entendendo como funciona o seguro de moto

1. Ele funciona, basicamente, como qualquer outro seguro

Isso, claro, quando falamos de seguros para veículos, e não aqueles voltados para residências e aparelhos celulares.

Um seguro de moto, assim como um seguro de carro, é pensado para quem deseja dirigir com mais proteção e minimizar qualquer prejuízo financeiro que possa surgir em casos de acidente, por exemplo.

Ele pode, inclusive, ser voltado para terceiros. Isso significa, basicamente, que ao causar danos morais, materiais ou corporais a alguém, com sua moto, o seguro pode ser acionado para que você não precise lidar com as despesas.

Mas, claro: desde que você tenha contratado a cobertura oficialmente chamada de Seguro de responsabilidade Civil Facultativa de Veículos.

2. Ele nada tem a ver com o seguro DPVAT

Teoricamente, ao começar a dirigir uma moto que esteja em seu nome, você já está segurado, por causa do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, o famoso DPVAT.

Mas isso é verdade somente em partes.

Esse famoso seguro, que todo proprietário de veículos deve pagar, obrigatoriamente, todo ano, é voltado para literalmente qualquer pessoa que se envolva em um acidente causado pelos veículos acima citados.

Em um acidente de ônibus, por exemplo, todos os feridos têm direito a reembolso/indenização por danos morais e/ou corporais, como invalidez e despesas médicas. E isso inclui tanto os passageiros quanto o motorista (sendo ele o causador do acidente ou não) e até mesmo um possível pedestre que tenha sido atropelado na hora.

Ou seja: não se trata, especificamente, de um seguro de moto. E não se trata, também, do tipo de seguro que irá te auxiliar, financeiramente, na hora de fazer reparos em sua moto, após um acidente. Se foco é única e exclusivamente nos danos morais e corporais, e não nos materiais.

Portanto, caso queira se precaver nesse sentido, é importante que, na hora da contratação, você escolha uma cobertura ligada a reparos e acidentes (acidentes que podem, inclusive, resultar em perda total do veículo).

E sabe a cobertura contra terceiros, citada mais acima? Ela, sim, cobre reparos aos veículos de outras pessoas, cujos danos tenham sido causados por você. Pois, além dos materiais e corporais, ela também cobre danos materiais.

3. Ele não precisa estar restrito aos cenários de roubo e furto

Como já foi possível notar, não existe necessariamente um único tipo de cobertura com o qual você pode contar, na hora de contratar um seguro para a sua moto.

Quando se trata desse tipo de veículo, é comum pensarmos somente na cobertura contra roubo e furto, mas essa não precisa ser a única opção. Embora, claro, seja a opção mais inteligente, principalmente se você mora em uma região com muitos roubos e furtos, ou circula por áreas conhecidas pela ocorrência desse tipo de crime.

Mas tudo depende, exclusivamente, do que você acha importante no momento.

Você mora e trabalha em uma área segura, e começou a pilotar há pouco tempo, acreditando que pode causar acidentes ou danos a alguém? Então a cobertura contra terceiros certamente será mais interessante, para o seu caso, do que a cobertura contra roubo e furto.

Já se você mora em área de alagamento, ou circula por grandes centros que sofrem na época de chuvas, como São Paulo/SP, pode achar melhor contratar a cobertura ligada a acidentes naturais.

Vale ressaltar que, independente das suas necessidades, o seguro de moto da Suhai é um dos mais conhecidos e completos para este tipo de veículo.

4. Não existe um preço fixo para o seguro de moto

Uma pessoa conhecida te indicou contratar o seguro, por ser “baratinho”?

Bem… Cada caso é um caso, e não necessariamente você irá pagar o mesmo que essa pessoa paga.

Afinal, na hora de calcular o preço que será cobrado, toda seguradora considera informações como:

  • Sua idade, sexo e histórico como motorista (se já cometeu muitas infrações, por exemplo);
  • O modelo da sua moto, pois pode ser um dos modelos mais buscados por quem pratica roubo e furto de motos;
  • O local no qual a moto fica durante a noite (se em sua garagem, na rua ou em um estacionamento);
  • O tipo de cobertura que você irá escolher.

Quanto mais completa foi a cobertura que você quiser contratar, mais caro será seu seguro de moto.

Mais caro ele será, também, se a seguradora chegar à conclusão de que são grandes as chances de ter que lidar com sinistros, tendo você como segurado.

5. Algumas coisas podem dificultar a contratação do seguro

Você sabia que é possível que a seguradora se recuse a vender um serviço para você?

Isso pode ocorrer, por exemplo, caso existam multas em aberto, considerando que muitas empresas de seguro preferem não lidar com elas, inclusive no caso da renovação da apólice.

Caso aceitem ter ou manter você como segurado, pode ser que o preço a ser pago também seja mais alto. Então, por via das dúvidas, sempre pague tudo que estiver em aberto e regularize todos os documentos da sua moto, antes de começar a procurar o seguro perfeito.

6. A indenização não será paga na hora que você quiser

A contratação do seguro muitas vezes está ligada a ter mais segurança financeira, uma vez que a seguradora paga a indenização em caso de sinistros.

Mas, de qualquer forma, é muito importante que você tenha um bom controle do seu dinheiro, a fim de lidar com despesas que venham a surgir em casos de reparos causados por acidentes, por exemplo, enquanto aguarda o dinheiro da seguradora.

Isso se faz necessário pelo simples fato de que o dinheiro não chegará até você no momento que você julgar necessário: ele chegará somente após o aviso de sinistro e análise de toda a documentação solicitada, por parte da seguradora.

A boa notícia é que, por lei, o prazo máximo para todo esse processo acontecer é de 30 dias. Ou seja: a seguradora tem aproximadamente um mês para se certificar de que você não está mentindo, e fazer o pagamento da indenização.

7. Ter um seguro de moto não significa que você não terá que gastar

Pelo que foi dito acima, já ficou subentendido que em algum momento pode ser que alguns gastos apareçam, embora a seguradora pague a indenização posteriormente.

Porém, há um outro fator que não é necessariamente reembolsável: a franquia do seu seguro moto.

Trata-se de um valor a ser pago pelo próprio segurado, em casos de sinistro de perda parcial, ficando o restante por parte da seguradora.

Caso você danifique a lataria do seu carro em uma batida, por exemplo, deverá pagar parte do valor do reparo conforme quantia prevista em apólice, cabendo à seguradora pagar o resto. Lembrando que existe mais de um tipo de franquia e, quanto menor ela for, maior será o valor que você pagará no seguro em si.

Mas em casos de acionamento do seguro contra terceiros, para reparar danos causados ao veículo de outra pessoa, não é preciso desembolsar o valor da franquia.

A Seguradora Suhai, por exemplo, por estar com o maior foco em seguros de moto, oferece os principais planos, sem franquia.

8. Ele pode estar atrelado a diversos serviços complementares

Por fim, outro fato importante sobre como funciona o seguro de moto: ele pode te beneficiar além das coberturas contratadas.

Você quer poder contar com um guincho?

Quer alguém para trocar os pneus para você?

Pois pode obter esses serviços complementares, e muito outros, também junto à seguradora escolhida.

Encontre o seguro de moto que mais combina com você!

E então, conseguiu entender melhor como funciona esse tipo de seguro?

Agora, é hora de começar a procurar o seguro de moto que melhor atende suas necessidades e mais combina com você e com seu bolso. E, o melhor: você não precisa sair de casa e muito menos visitar o site de diversas seguradoras para encontrar o seguro ideal!

Com a Luna, em pouquíssimos cliques você obtém um comparativo completo dos preços, coberturas e condições de todas as seguradoras de moto do mercado brasileiro, podendo escolher aquela que mais lhe agrada.

É simples assim: tudo, inclusive a contratação e a vistoria, pode ser feito online, direto da tela do seu computador ou do seu celular.

Economize tempo, e principalmente dinheiro, cotando gratuitamente e ao final descobrindo que realmente fez a melhor escolha!

E não para por aí: além de encontrar e contratar seu seguro de moto de maneira rápida e prática, a Luna também te possibilita não ter que lidar com as questões burocráticas em caso de sinistro, uma vez que pode cuidar disso junto à seguradora por você.

Comece a cotar agora mesmo, sem nenhum compromisso!

Acesse o site Luna.ac, forneça as informações necessárias (prometemos que são poucas, somente as que são realmente importantes), e descubra hoje mesmo qual é o melhor seguro de moto para você!

Quer ficar atualizado das principais notícias da semana? Clique aqui para receber atualizações no seu e-mail!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

LEITURAS RECOMENDADAS

Evento destaca importância das parcerias para a metamorfose digital

Quer ficar atualizado das principais notícias da semana? Clique aqui para receber atualizações no seu e-mail! Grupo Skill apresentou suas novas soluções em encontro presencial em São Paulo Promover a transformação por meio das conexões. Esse foi o objetivo do