Clubhouse: 5 passos para aprimorar sua expressão vocal e se dar bem na nova rede

Se você já conseguiu o seu convite para o Clubhouse ou se está à espera de entrar na nova rede, provavelmente já sabe que ela tem uma particularidade: a comunicação acontece apenas através de áudios.

É por isso que aprimorar a expressão vocal se tornou uma demanda ainda mais urgente. Afinal, o Clubhouse já vem sendo usado profissionalmente e é preciso saber usar bem a voz para se destacar nessa plataforma.

Existem 5 passos que eu considero fundamentais para você aprimorar a sua expressão vocal, seja para não fazer feio no Clubhouse ou para aplicar no dia a dia. Confira quais são eles!

1. Saiba alterar estrategicamente o tom de voz

Você já ouviu a expressão “dar energia à voz”? Ela significa usar a voz de uma forma que chame e retenha a atenção da audiência. Em plataformas como o Clubhouse, isso se torna imprescindível.

Alterar o tom de voz é um dos recursos mais importantes quando se trata de dar energia à voz. Essas alterações, feitas em momentos estratégicos, conseguem dinamizar uma fala, aumentar a emotividade, chamar a atenção…

É preciso considerar, ainda, que as pessoas sentem dificuldades em se concentrar em uma fala que mantém o mesmo tom todo o tempo. As variações são, portanto, uma ferramenta mais que útil: é essencial.

2. Aprenda a interpretar quando falar e quando calar

O Clubhouse tem uma série de salas, com configurações diferentes. Podem acontecer no estilo palestra: uma pessoa fala e as demais escutam; painel: um grupo reduzido tem a palavra e o público ouve; e estilo bate-papo, uma “roda de conversa”.

Nessas últimas, interpretar qual é o momento certo de falar é um grande desafio. A razão? Não há maneira de ver sinais como gestos ou expressões dos outros participantes. Logo, é através da voz que vem o timing para tomar a palavra para si.

Uma forma de fazer essa interpretação é escutando ativamente os demais e encontrando “espaços” nos quais se pode falar, opinar, discutir e/ou expor uma ideia. Observar as pausas e as variações dos tons de voz dos outros também será importante.

 

3. Aplique as pausas estrategicamente

Pausas – ou silêncios intencionais – podem até parecer incômodas para muitas pessoas, mas a verdade é que, na comunicação, elas têm uma grande variedade de funções, como, por exemplo:

– Indicam que algo importante está por ser dito

– Aumentam o nível de emoção em determinado trecho

– Funcionam como divisores entre um tópico e outro

– São recursos para organizarmos nosso pensamento antes de abordar algo novo

No Clubhouse, a voz é o seu único instrumento de comunicação. Por isso mesmo, saber aplicar bem as pausas é ainda mais determinante. Minha sugestão: pratique sua fala com antecedência e planeje os momentos em que fará pausas, ok?

4. Encontre o seu ritmo de fala ideal

Se você tem um amigo que fala rápido demais ou devagar demais, sabe que esses dois extremos são bem nocivos à comunicação, não é verdade? Um ritmo lento pode causar desinteresse, enquanto um ritmo rápido pode dificultar o entendimento.

É preciso, então, encontrar um ritmo de fala ideal. Mas a que me refiro quando digo “ideal”? Bem, Speaker, a autenticidade é indispensável na comunicação. Então, é importante você respeitar seu próprio tempo e suas características.

Contudo, no Clubhouse ou em outros contextos, se você notar que o seu ritmo tende a ir para um dos dois extremos (muito rápido ou muito lento), será preciso fazer alguns ajustes.

Um ritmo ideal é, então, aquele que respeita a sua autenticidade, mas que também funcione bem para o seu público e não prejudique a transmissão da sua mensagem, isto é, do seu conteúdo.

5. Realize as adaptações no seu conteúdo

Pense em algumas situações de exposição de fala: uma apresentação em público presencial, a gravação de um vídeo, um áudio que você envia pelo WhatsApp. Pensou? Agora, reflita: você se comunica da mesma forma em todas elas? Não!

No Clubhouse, a adaptação do conteúdo é fundamental. Não dá para participar de um evento em uma sala de bate-papo nessa nova rede mantendo o mesmo padrão de comunicação que usaria em uma videoconferência, por exemplo.

No Clubhouse, opte por:

– Frases curtas

– Linguagem acessível

– Tempo reduzido de fala

Caso tenha dúvidas, escute mais podcasts, preste atenção na maneira como as pessoas se comunicam e no dinamismo desse tipo de mensagem. Outra opção é entrar nas salas de bate-papo apenas como ouvinte, até se acostumar com o novo ambiente!

 

Aprimorar a expressão vocal não é necessário apenas para quem vai entrar no Clubhouse (ou já entrou). Esse é um dos três pilares centrais da oratória e precisa ser desenvolvido, aperfeiçoado e adaptado frequentemente.

Precisa de ajuda para usar melhor a sua voz no Clubhouse e em outros momentos? Fale comigo!

 

Fonte:

www.thespeaker.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

LEITURAS RECOMENDADAS

Malha fina: quais as inconsistências mais comuns e como resolvê-las?

Quer ficar atualizado das principais notícias da semana? Clique aqui para receber atualizações no seu e-mail! Por Daniel Lima O número de contribuintes que caem na chamada malha fina está aumentando. Ocasionado por inúmeros motivos de inconsistências, divergências de informações

Cassinos no Brasil: da origem aos dias atuais

Quer passar na prova da OAB? Clique aqui para baixar gratuitamente as provas dos últimos 12 anos! Os cassinos no Brasil já foram sinônimo de luxo, poder e diversão. O até hoje famoso hotel Copacabana Palace foi, originalmente, um cassino.

Compliance para startups cresce, mas exige cuidados

Quer passar na prova da OAB? Clique aqui para baixar gratuitamente as provas dos últimos 12 anos! Especialista aponta caminhos para um desenvolvimento sólido A quem acredite que as práticas de Compliance devem ser atribuídas exclusivamente às grandes corporações e