Firmando o conceito do Officeless nasce a Associação Brasileira de Legal Design

0

A entidade propõe discutir e inovar os moldes do conservador mundo jurídico

O futuro do universo de causas e processos pós pandemia prevê inovações que quebrarão as barreiras na forma de gerar negócios e na relação com o cliente. Mas essa mudança precisa ocorrer de forma organizada e ser discutida pelos envolvidos, uma vez que mexerá, e muito, com o tradicional mundo do Direito.

Após ser pioneiro em lançar a primeira organização jurídica Officeless, o advogado João Eduardo de Villemor Amaral, da J Amaral Advogados, cria a Associação Brasileira de Legal Design (ABLD) e convida seus companheiros de profissão para repensar o modelo da prestação de serviços jurídicos e da experiência do cliente, utilizados há mais de 40 anos. “Nosso objetivo é trazer os conceitos de design para o mundo do Direito. Colocar o cliente no centro da relação, simplificar, democratizar e tornar a linguagem e a comunicação dos serviços jurídicos mais acessíveis e claras para todos, independente do conhecimento técnico legal”, explica Amaral.

O propósito de criar um hub independente de pensamento para a discussão de um novo e atualizado formato das entregas e de experiências de serviços no universo do Direito, mais alinhado com o mundo digital dos dias atuais, surgiu na implementação do formato officeless, que dispensa a obrigatoriedade de um escritório físico, em seu próprio empreendimento jurídico. “Com as medidas impostas pelos governos, em parceria com os órgãos de saúde, foi necessário migrarmos nossas atividades para o modelo home office. Mas, eu havia passado por uma reorganização societária e resolvi ousar e continuar mudando”, comenta o advogado.

Após três meses atuando em home office, ele se deu conta de que não era mais obrigatório a presença diária em escritórios físicos luxuosos para garantir boas entregas e, após fazer uma pesquisa com seus colaboradores, decidiu mudar definitivamente seu modelo de negócio. “Descobrimos que 100% do time aprova e, principalmente, incentiva esse nosso novo posicionamento estratégico. Entendemos que sem a carga gerada pela manutenção de um espaço físico é possível promover diversas vantagens competitivas para nós e gerar economia para os nossos clientes”.

Segundo Amaral, a mente e o intelecto humano são as ferramentas que permitem que os temas e os desafios endereçados aos advogados possam ser resolvidos de forma criativa e eficiente. “É por intermédio das pessoas e de suas habilidades intelectuais que os serviços são entregues”, relativiza o sócio.

Com a ABLD, Amaral quer modernizar o trabalho no universo do Direito.  Ele entende que a mentalidade dos líderes dos escritórios de advocacia têm de se abrir. “Se esse posicionamento não for visto como estratégico e não for, verdadeiramente, o pilar do negócio, teremos, apenas, organizações com bons recursos tecnológicos. E não é esse o conceito do officeless + borderless”.

Toda inovação pretende promover a diferença e gerar resultados palpáveis. No caso dessa mudança de mentalidade é possível perceber relevantes impactos financeiros. “No modelo sob o qual estávamos estabelecidos e que é utilizado pelo mercado, os clientes são ‘sócios’ dos advogados nas estruturas físicas, uma vez que as despesas fixas como aluguel, IPTU, condomínio, luz, água, internet, mobiliário e decoração e, ainda, todos os demais ônus envolvidos na manutenção de um escritório tradicional são repassados para o contratante no momento de se estabelecer o investimento requerido para o trabalho. Ao adotar o officeless, passamos a ser capazes de ofertar honorários mais justos e competitivos, justamente por que não carregamos esse composto absolutamente desnecessário”, explica.

O exercício do trabalho realizado de casa foi o teste e o despertar para a mudança na forma de pensar.  “Logo nas primeiras semanas de quarentena, constatamos que havíamos nos libertado das ‘amarras físicas’. No modelo remoto, as pessoas, sem se dar conta, adquiriram a liberdade para realizar suas atividades profissionais do local que entendessem mais adequado, seja de suas moradias, da casa de campo ou de praia ou de qualquer lugar, o que é, justamente, a premissa do conceito officeless.

Identificando indicadores

O fundador da associação entende que é preciso estabelecer e discutir os indicadores que compõem esse movimento para a categoria. Para começar, Amaral compara o estilo de gestão de equipe antes da pandemia e o futuro. “No passado, ficou convencionado que gerir um time pressupunha um contato obrigatoriamente presencial. Hoje, os direcionamentos para as equipes são mais frequentes, muito mais interativos e não perdemos tempo com reuniões improdutivas e desnecessárias”. Ele detalha que fala com seus clientes, sócios e colaboradores mais vezes ao longo do dia, já que as conexões digitais são muito fáceis e rápidas de se implementar. Além do que, nesse formato, a pessoa tem que olhar e dar atenção plena ao interlocutor. “Acabaram os encontros internos ou com clientes em que um participante fica olhando o celular. Isso faz com que haja a atenção plena de quem está envolvido”.

Amaral destaca diversas vantagens do modelo officeless. Transparência, agilidade, capilaridade e eficiência. Para traduzir esses indicadores, o advogado diz que o cliente, no que se refere ao recebimento dos serviços, identifica claramente o que foi contratado versus o que foi entregue. Não há “custos” escondidos na contratação. O novo formato  pressupõe um trabalho dinâmico, que pode ser feito a qualquer hora, de qualquer lugar e que não depende da estrutura física de um escritório para ser entregue. Portanto, a rapidez na devolutiva ao cliente é muito maior.

“O officeless nos permite chegar a outros locais e a outros clientes que, eventualmente, com o conceito arcaico da barreira física e presencial, não era possível atingir. Se quisermos, por exemplo, expandir nossas atividades para outros locais do Brasil, nosso desafio será somente encontrar talentos para executar esses serviços e proporcionar a essas pessoas a infraestrutura de que precisam para o trabalho remoto; daí também o conceito borderless. Adicionalmente, executar nossos serviços via as plataformas digitais nos permite estar sempre conectados com nossos clientes. Podemos fazer, com um mesmo cliente, múltiplas reuniões e contatos digitais”, completa.

Junto com o novo posicionamento estratégico da J Amaral e da ABLD, Amaral acredita que a transformação trará consigo a geração de valor para a sociedade, uma vez que, “cobrando valores mais competitivos, estamos democratizando o acesso à prestação de serviços jurídicos para clientes pessoas jurídica e física que operem sob um limitação orçamentária para a contratação de um advogado”.

 

Sobre o J Amaral Advogados

Fundado em 2012 por João Eduardo de Villemor Amaral, o J Amaral Advogados é o primeiro empreendimento jurídico brasileiro baseado na cultura officeless, que defende a desobrigatoriedade de se ter um escritório físico para oferecer uma entrega de serviços com alto nível de qualidade. Em sua essência, J Amaral Advogados realiza seu trabalho sob a perspectiva de competência e criatividade. A banca atua com foco em societário, fusões e aquisições, infraestrutura, energia, contratos, startups,  tributário, trabalhista, arbitragem, contencioso cível, recuperação judicial, recuperação de ativos e créditos estressados e litígios de alta complexidade. Com o propósito de ser um empreendimento dinâmico, eficiente e com atendimento personalizado, J Amaral Advogados trabalha sob as premissas de manter a ética nas relações humanas, performar com objetividade e clareza, e primar pelo comprometimento e pelo desenvolvimento da equipe. Sua carteira de clientes nacionais e internacionais está estabelecida em diferentes segmentos da economia, tais como instituições financeiras, indústrias farmacêuticas, de alimentos, de infraestrutura e de energia, além de agronegócios e empresas de tecnologia.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais Aceitar Leia mais