Justiça Federal julga improcedente Ação Civil Pública ajuizada pela SUSEP em favor de associação de proteção veicular

0

Magistrada reconhece que a associação mineira Club Car não exerce atividade de seguro empresarial; o escritório Assis Videira Consultoria & Advocacia atuou no caso.

 A juíza federal substituta, Thatiana Cristina Nunes Campelo, da 13ª Vara Federal SJMG, revogou a liminar proferida por ela mesma meses atrás, e julgou improcedente os pedidos da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) ao Clube de Benefícios aos Proprietários de Veículos Automotores – Club Car, por operacionalizar programa de proteção e assistência automotiva, sem autorização da Autarquia Federal.

 A SUSEP ajuizou Ação Civil Pública (ACP) objetivando que fosse declarada ilícita a atuação da assistência de proprietários de veículo no mercado de seguros, proibindo a Club Car, permanentemente, de realizar a oferta e/ou a comercialização de qualquer modalidade contratual de seguro em todo o território nacional, sob pena de multa de R$ 10 mil reais para cada serviço correlacionado  a atividade de seguro.

 Na sentença, a magistrada listou que “apesar da semelhança com o seguro mercantil comercializado pelas operadoras usuais do mercado, o seguro mútuo com ele não se confunde. Essa modalidade é caracterizada pelo rateio de despesas entre os associados, apuradas no mês anterior, e proporcional às quotas existentes, com limite máximo de valor a ser indenizado. É hipótese de contrato pluralista, orientado pela autogestão, em que todos os associados assumem o risco, sendo feito, entre eles, a divisão dos prejuízos efetivamente caracterizados”.

Por fim, a juíza federal sentenciou. “Desta forma, não há ilegalidade na atuação do requerido, que não negocia nem oferta contrato de seguro previsto no código civil de 2002 e DL 73/66, não afrontando a legislação, mas efetiva o direito de livre associação consagrado constitucionalmente. Diante do exposto, revejo o posicionamento anteriormente adotado para revogar a liminar deferida e julgar improcedentes os pedidos, extinguindo o processo com resolução do mérito, nos termos do art. 487, I, do CPC/2015”.

O escritório Assis Videira Consultoria & Advocacia atuou no caso pela associação. Segundo destaca o advogado Renato Assis, essa é uma decisão de impacto a favor da proteção veicular. “A mesma magistrada que tinha concedido, inicialmente, medida liminar para interrupção das atividades da Club Car, –  liminar essa que na época foi cassada pelo escritório no Tribunal Regional Federal, em Brasília – se convenceu dos argumentos apresentados em defesa da entidade e, agora, em sede de sentença, reconsiderou ou posicionamento inicial, julgando improcedentes todos os pedidos da SUSEP”, explica.

 A decisão, de primeira instância, foi proferida no último sábado, dia 18, e publicada na  segunda-feira, dia 20. A sentença é passível de recurso por parte da SUSEP. Conforme ressalta o advogado Renato de Assis Pinheiro, em aproximadamente 30 dias, essa foi a quarta derrota da SUSEP em processos na Justiça Federal em casos conduzidos pelo escritório.

Renato Assis

Número do processo: 1013405-40.2018.4.01.3800

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais Aceitar Leia mais