Projeto de lei que muda as regras de recuperação judicial de empresas tem mais de 90% de chance de aprovação, aponta Inteligov

0

O PL, que tem como relator o deputado Hugo Leal (PSD/RJ), tramita em regime de urgência na Câmara dos Deputados

A proposta que altera a lei para a recuperação judicial, extrajudicial e falência do empresário e da sociedade empresária (PL 6229/2005), e que deve seguir para votação na Câmara dos Deputados nos próximos dias, tem mais de 90% de possibilidade de aprovação. O cenário é dado pelo Termômetro, ferramenta desenvolvida pela Inteligov, plataforma que monitora dados dos poderes Legislativo e Executivo, e que mede a projeção de aprovação de projetos no Congresso Nacional.

O Termômetro avalia múltiplas variáveis, desde os autores da proposta até dados específicos da tramitação, utilizando algoritmos de machine learning. São quase 3 milhões de projetos de lei, 2,1 milhões de votos e 290 mil discursos de parlamentares na base da plataforma. “Com todos estes dados, chegamos em uma estimativa muito próxima do real”, destaca Raphael Caldas, CEO da Inteligov.

O PL 6229/2005 propõe reforma da lei de recuperação judicial de empresas. Uma das alterações mais relevantes propostas pelo projeto é o parcelamento em até dez anos das dívidas tributárias, com 70% de desconto sobre juros, multas e encargos.

A projeção deste e de outros projetos pode ser consultada na plataforma Inteligov (inteligov.com.br).

 

Sobre a Inteligov: 

Fundada em 2014, por Raphael Caldas, a Inteligov é a startup pioneira em soluções para a área de relações institucionais e governamentais. Sua plataforma é inteiramente automatizada e funciona em qualquer dispositivo – desktop ou mobile. Através do monitoramento de dados dos Poderes Legislativo e Executivo de todo o país, é possível acompanhar com detalhe e precisão todas as normas e propostas de mudança regulatória que possam causar impacto nos negócios e atividades de todos os setores da economia e da sociedade.  Hoje, a Inteligov concentra dados das casas legislativas federais, das 27 assembleias estaduais e Câmara Legislativa do Distrito Federal, além de 24 casas legislativas municipais. Ainda é possível seguir o cenário regulatório, com dados de um número crescente de órgãos do Executivo, além do Diário Oficial da União e inúmeros diários oficiais de estados e municípios. Atualmente, a legaltech tem cerca de com 50 clientes nos setores privado e público, com destaques como: Itaú, Shell, FIESP, Firjan, Dasa, Supremo Tribunal Federal, Governo Britânico, Eletrobras, e Brasilseg, além de instituições sem fins lucrativos como a Transparência Internacional, Fundação Abrinq e Movimento Brasil Competitivo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais Aceitar Leia mais