Tecnologia no-code ajuda RH em tarefas de gestão de pessoas

Quer escalar seu escritório no digital em 2024 e faturar R$100k por mês vendendo serviços e mentorias? Clique aqui para reservar o seu lugar na mentoria experimental!

Mais da metade dos aplicativos serão desenvolvidos com pouco código até 2024, e setor de Recursos Humanos pode se beneficiar.

Os investimentos em aplicativos nocode e low code estão em expansão. Até 2024, mais da metade das soluções serão desenvolvidas com pouco código, segundo estimativa do relatório divulgado pela HCLTech. O cenário pode ser favorável para o setor de Recursos Humanos (RH). Com parte das pessoas trabalhando em home office, os profissionais da área buscam soluções para manter os processos em sincronia com a tecnologia. 

 

No último ano, pelo menos 11 milhões de brasileiros estavam em trabalho remoto ou realizavam atendimentos usando aplicativos, conforme dados da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (PNAD), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento também apontou que cerca de 7,4 milhões de pessoas utilizam equipamentos de tecnologia da informação e comunicação (TIC), como computadores, telefones e tablets para realizar as tarefas do teletrabalho. 

 

As lideranças de RH estão atentas à realidade do mercado. Segundo estudo feito pela Mckinsey, 24% desejam melhorias e, para isso, investem em Inteligência Artificial (IA)e automação de processos. 

 

O diretor de marketing de produto da Eva, empresa focada em soluções para o RH, Henrique Tavares, defende que o futuro do RH é no-code. Para ele, a ferramenta auxilia o setor, que necessita de sistemas mais simples para manter a qualidade do funcionamento. “Quando se fala de ferramentas com a melhor usabilidade do mercado, é impossível não falar de ferramentas no-code”, explica no artigo O futuro do RH é no-code. Entenda os motivos. 

Benefícios do no-code para o RH

Os benefícios do uso de soluções no-code para o setor de RH podem ser observados na realização de diferentes atividades. No trabalho de contratação de funcionários, é possível usar um sistema de automação para as etapas de publicação da vaga, coleta de currículos, classificação dos candidatos e coleta de documentos, o que economiza tempo dos profissionais do setor. 

 

Após a admissão, a criação de aplicativos sem código pode ser útil para a experiência de integração. Segundo informações do Glassdoor, empresas que implementam um onboarding eficaz aumentam a taxa de retenção de novos funcionários em 82% e a produtividade em mais de 70%. 

 

A automação, por meio de ferramentas no-code, é recomendada para agilizar processos, como validação de documentos e fornecimento de credenciais de acesso. O auto-onboarding pode contar com recursos on-line e portais de autoatendimento que são geridos automaticamente. 

 

Essas soluções podem ser desenvolvidas através da linguagem de programação Bubble io. A plataforma possibilita a criação de aplicativos e sistemas completos, desde o design da interface até a estruturação do banco de dados. Na prática, funciona por meio de um modelo de arrastar e soltar elementos em templates pré-definidos. 

 

O gerenciamento de registros, o controle de licenças, o treinamento de funcionários e o acompanhamento do desempenho são outras atribuições do RH que podem ser facilitadas pelo uso da tecnologia no-code. Com o uso de aplicativos também é possível controlar ponto e horários, realizar reembolsos e até declarar o Imposto de Renda da organização. 

No-code faz diferença no dia a dia?

Para o fundador da Product Hunt, Ryan Hoover, as plataformas no-code permitem que mais ideias dos funcionários sejam colocadas em prática, pois eles podem utilizar as ferramentas para validar suas sugestões antes de envolver o departamento de TI, como informa no artigo The Rise of “No Code

 

No dia a dia, os dados e as informações são organizados pelos profissionais de RH através de planilhas. Mas experiências mostram que a tecnologia no-code pode agilizar os processos e torná-los mais precisos.

 

Especialistas da Jestor, plataforma focada em soluções para empresas, realizaram um comparativo entre o uso de aplicativos e planilhas para tarefas cotidianas do setor. Eles concluíram que a triagem de currículos, quando feita manualmente, é mais demorada. Já com o uso de no-code, é possível automatizar a tarefa e economizar tempo.

 

Outro exemplo observado foi com relação à pesquisa de clima. Sem a tecnologia, a atividade pode ser feita de forma limitada e sem interatividade. Por outro lado, o no-code a torna dinâmica e com a possibilidade de feedback instantâneo. 

 

Para os profissionais interessados em implementar soluções no-code, existem opções de cursos gratuitos no mercado que visam tornar a abordagem mais acessível. Há portais, como No-Code Start-Up, Portal NoCode, ServiceNow, que disponibilizam cursos gratuitos e e-Books sobre o tema. 

 

Inovações do setor imobiliário que vieram para ficar

Quer escalar seu escritório no digital em 2024 e faturar R$100k por mês vendendo serviços e mentorias? Clique aqui para reservar o seu lugar...
Âmbito Jurídico
4 min read

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *