O tamanho do Tribunal

0

“Mudar é
a glória dos que querem ser justos”
.
(Rui Barbosa)

O
congresso anual dos magistrados maranhenses, recentemente encerrado, discutiu,
entre outros temas, o número dos juízes necessários à melhor prestação
jurisdicional dos cidadãos deste Estado. O debate de interesse da população em
geral, e, especialmente, dos operadores do direito – juízes, advogados,
promotores, serventuários – concluiu pela necessidade do imediato aumento da
quantidade de juízes nas comarcas, e não poderia ser de outra forma.

Temos hoje, no Brasil, um juiz para
cerca de vinte e três mil habitantes. A média internacional é de um juiz para,
aproximadamente, sete a dez mil habitantes, sendo que certos países têm um juiz
para três mil habitantes, como a Alemanha, por exemplo. No Maranhão estamos
abaixo da média nacional, atualmente a relação é de um juiz para um grupo de
quarenta e cinco mil habitantes.

Estas estatísticas são apenas
referenciais, o juiz alemão que atende três mil jurisdicionados efetivamente
atua em um universo de elevada condição social, cultural e financeira de seus
concidadãos, todos motivados na busca de prestação jurisdicional; por outro
lado, o juiz brasileiro, que atende de vinte e três a quarenta e cinco mil
habitantes, trabalha com uma imensa massa de excluídos sociais, reduzindo,
assim, os números absolutos. Registre-se que, apesar do comentário sobre os
excluídos, afastados da condição de postulantes judiciais, é importante
ressaltar que nos últimos anos o Brasil, e conseqüentemente o Maranhão, vêm
obtendo melhores indicadores sociais; desta forma, no futuro haverá a eclosão
de uma imensa demanda reprimida, formada por ex-excluídos. 

O aumento do número de juízes está
intimamente relacionado com o de desembargadores, o que já se faz necessário
mesmo nas condições atuais. Vejamos os seguintes paralelos: o Maranhão com uma
população de 5.641.690 possui 20 desembargadores; o Distrito Federal, apesar da
população menor – 2.043.169 habitantes, tem 31; e o
Estado de Santa Catarina, com população similar – 5.349.580, compõe o tribunal
com 30 desembargadores.

Inquestionável a necessidade estabelecida sobre o aumento
do número de juízes e, conseqüentemente, dos desembargadores em nosso Estado;
entretanto, esta é apenas a parte mais visível da questão. Vinculado ao aumento
de magistrados, surgem o acréscimo de serventuários, as ampliações dos fóruns,
a correção da defasagem salarial, etc., em suma, é necessário mudar, mas tem
que mudar muito! 


Informações Sobre o Autor

Luis Augusto Guterres

Advogado


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais Aceitar Leia mais