Quanto os bancos cobram de tarifas para PJs que realizam transações via Pix?

Você gostaria de escrever e publicar no Âmbito Jurídico? Clique aqui para se cadastrar.

Oferecendo praticidade e agilidade, o serviço de transferências instantâneas se tornou muito presente na rotina dos brasileiros. Desenvolvido pelo Banco Central em novembro de 2020, o Pix é gratuito para a maior parte de seus usuários, menos para os empresariais.

Segundo João Esposito, economista e CEO da Express CTB – accountech de contabilidade, “aqueles que possuem CNPJs, mas se enquadram nas categorias de Microempreendedor Individual e Empresário Individual não podem ser tarifados pelo serviço de transações instantâneas, de acordo com a resolução publicada pelo Banco Central. As demais pessoas jurídicas devem se atentar aos valores das tarifas em cada instituição”.

As taxas a serem cobradas para o recebimento e o envio de uma transação podem ser diferentes, com alguns bancos apresentando taxas fixas e outros percentuais. Dentre as instituições financeiras, os bancos Itaú, Bradesco e Banco do Brasil são os que apresentam as tarifas mais altas.

Confira abaixo as taxas do Pix nos maiores bancos brasileiros:

Banco Tarifa de transferência ou pagamento via Pix Tarifa de recebimento via Pix
Banco do Brasil até 0,99% do valor pago, com tarifa mínima de R$ 1 e máximo de R$ 10 até 0,99% do valor da transação, com tarifa máxima de R$ 140
Bradesco até 1,4% do valor pago, com tarifa mínima de R$ 1,65 e máxima de R$ 9 até 1,4% do valor da transação em vendas via QR Code, com tarifa mínima de R$ 0,90 e máxima de R$145
C6 Bank zero zero (até abril de 2023)
Caixa zero zero
Inter zero zero
Itaú até 1,45% do valor pago, com tarifa mínima de R$ 1,75 e máxima de R$ 9,60 até 1,45% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$ 150
Mercado Pago zero 0,99% em vendas online
0% em vendas via QR Code
Nubank zero zero
PagSeguro zero até 1,89% do valor da transação em vendas online ou via QR Code
Safra até 1,3% do valor pago, com tarifa mínima de R$ 1,50 e máxima de R$ 9,90 até 1,3% do valor de transações via QR Code, com tarifa mínima de R$ 1,50 e máxima de R$ 150
Santander até 1% do valor pago, com tarifa mínima de R$ 0,50 e máxima de R$ 10 até 1% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,50 e máxima de R$ 11

 

“Vale ressaltar que essas taxas estão sempre sujeitas a mudanças. Assim, é importante que os empresários se mantenham atentos a qualquer alteração nestes valores”, explica Esposito.

Sobre a Express CTB

A Express CTB é uma accountech que tem o objetivo de democratizar as soluções empresariais para negócios. A Express CTB auxilia na legalização de empresas, certificações digitais, impostos, finanças, assuntos jurídicos, departamentos de contas, entre outros, em poucos minutos, com tecnologia e consultoria especializada. www.expressctb.com.br.

Você gostaria de escrever e publicar no Âmbito Jurídico? Clique aqui para se cadastrar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

LEITURAS RECOMENDADAS

O que é ETIAS e qual seu impacto nas viagens para a Europa?

Introdução Você gostaria de escrever e publicar no Âmbito Jurídico? Clique aqui para se cadastrar. O ETIAS está em vias de entrar em plena operação e as autorizações eletrônicas a serem emitidas através desse sistema vão se tornar obrigatórias para