Estados unidos até 2034 – história do futuro: Os próximos 30 anos do planeta na perspectiva constitucional norte-americana

Você gostaria de ajuda na escrita ou revisão do seu trabalho? Clique aqui para trabalhar diretamente com os melhores.

Palavras-Chave: Estados unidos até 2034 – a história do futuro; os próximos 30 anos do planeta; na perspectiva constitucional norte-americana; o afastamento do presidente pelo comitê; o perdão aos coronéis traidores; os escravizados representados pelos fazendeiros; direitos civis ou normas penais?; a dívida pública paga pelo valor nominal; e mais 40 tópicos, desde a Convenção constitucional; com as 6 Leis Orgânicas dos Estados Unidos de América – inglês e português – constituição e emendas em 3 traduções acadêmica, fast reading, vigente / não vigente.


Introdução


Emendas e declaração, ordenança e 13 Artigos, pacto e constituição são normas fundamentais para os sujeitos da lei comum, para os pares, para órgãos públicos, em todas as atividades no território dos Estados Unidos;


As quais podem sofrer modificações por norma, que não é parte das Leis Orgânicas; todavia consideramos que elas expressam as intenções firmes do grupo que dirige a Nação em sucessivos momentos históricos.


O estilo do presente trabalho é prestar fé nos escritos; indagar, identificar as soluções que o país adotou no passado; assim o leitor traça a seu prazer a trilha do país no futuro, na sua atuação e em relação aos demais países; e ainda, como todos os trabalhos, o presente estimula outros estudos.


Por exemplo: de 2002 até 2004 centenas de pessoas, presas durante as guerras no Oriente, estão como prisioneiros sob custodia do executivo, quer dizer do presidente federal dos Estados Unidos em Guantanamo – Ilha de Cuba – sem acusação, sem assistência jurídica e sem julgamento.


O que é isso ? É alguma forma nova ? É somente aprisionamento além dos mares, prática dos Ingleses de levar “além dos mares” prisioneiros das colônias ou das ilhas inglesas, para serem julgados na Inglaterra ou em outras ilhas. Os colonos norte-americanos se queixam por escrito até na declaração de independência. O mesmo acontecia com moradores ingleses sujeitos à lei comum, até em 1679 a lei prevenir contra “aprisionamento além dos mares”, prática usada para manter preso um morador sem acusação, sem assistência legal, e afastado do juiz, objetivo da prisão.


Concluindo, na Inglaterra a lei de 1679 pretende modificar uma prática já antiga; em 1776 a mesma é em uso nas colônias norte-americanas, assim como em 2004 no Oriente Médio e no território norte-americano de Cuba.


É a última vez que ocorre ? As informais reclamações de pessoas no mundo terão resultado ? O legislativo norte-americano terá a sensibilidade de logo preparar disposições vetando a prática do executivo ?


Ou ao contrário, assentados em centenas de anos de uso, ninguém sentirá a mínima necessidade de mudar isso em 2004 ?


Serão suficientes 50 anos para expurgar da tradição norte-americana, enquanto durar a atual aparente supremacia, a prática de levar prisioneiros além dos mares? Ou pelo contrário é elemento que não será tirado de sua civilização, por ser essencial ou por ser considerado impróprio por uma civilização diferente?


Apresentação


Confrontando entre si os 6 documentos das Leis Orgânicas dos Estados Unidos de América e sua relação com eventos históricos, o Autor pretende determinar, na atuação da federação ou de seus homens fortes, costumes e diretrizes que do passado entram no futuro, ainda com particular atenção para aspectos que fazem das práticas norte-americanas algo oposto e incompatível com costumes de outras Nações. Está na hora de distinguir as diferentes e opostas vertentes da civilização ocidental.


São preparadas três traduções da constituição e emendas, para comunicação com os diferentes públicos:


– a tradução acadêmica traz palavras de fatos já exauridos no passado;


– a tradução em duas colunas identifica as palavras que vigoram em 2004 e as palavras que não interessam o futuro, cuja definição traz debate;


– a tradução fast reading é a expressão do essencial para o futuro;


Porque o que mais precisa conhecer, é o futuro, cujas diretrizes estão no passado. O que aconteceu no passado, interessa somente na perspectiva do futuro.


Dois presidentes federais, chefes dos corpos armados, utilizaram em guerra novos recursos:


– em 1865 um decreto criou o caos no exercito inimigo do presidente: abolição da escravidão; com 500 mil mortos;


– 80 anos depois o presidente atomizou cidades inimigas, com 200 mil mortos na hora e milhões ao longo de décadas.


É material a ser utilizado por quem opera em ciências humanas, na perspectiva de perfilar o futuro da federação e de suas relações com as outras Nações.


O Autor


Sumário


Parte I. Olhando o passado:


1. Apresento as Leis Orgânicas


1. Quais documentos são?      


2. Cronologia em 2 páginas


3. Cronologia em 10 páginas   


4. Conclusão                 


2. Convenção & Ratificação             


5. O Congresso e os Estados           


6. Presença dos convencionais         


7. Votos na independência


8. Os signatários. Quem são? Têm dinheiro ?


9. Perfil humano                            


10. Aprovação


11. Duas interpretações econômicas         


12. Ratificação                                              


13. Calendário da ratificação           


14. Comparação com ratificação das emendas


Parte II. Vendo o futuro


3. Quarenta Tópicos                


4. O Presidente federal                    


Parte III. Ainda os Documentos


5. Leis orgânicas em Inglês                             


6. Leis orgânicas em Português                


Constituição e emendas em 3 opções de tradução:


– acadêmico, incluído no ponto 6 acima                    


– separadas as palavras vigente e não vigentes


– fast reading, o essencial       


Parte I. Olhando o passado


1. As Leis Orgânicas


1. Quais documentos são?; 2. Cronologia em 2 páginas; 3. Cronologia em 10; 4. Conclusão.


1. Quais documentos são ?


Os norte-americanos dos Estados Unidos consideram Leis Orgânicas, ou Leis Fundamentais, seis documentos: além da constituição e suas 27 emendas, são a Declaração de Independência, a constituição da Confederação, a da Federação, a Ordenança do Noroeste e, primeira na cronologia, o Pacto do Mayflower.


· Pacto do Mayflower de 1620


Ingleses com Holandeses do navio Mayflower procedendo da Inglaterra para estabelecer a primeira colônia do rei de Inglaterra, fazem pacto de união política, quando avistam a terra de Massachussets.


Os norte-americanos consideram que isso confere raízes antigas à Nação.


· Declaração de Independência, de 1776:


O texto, escrito durante a guerra, pretende declarar as causas da independência, os princípios fundamentais “ Os homens são criados iguais “,


os casos de necessária “ mudança de governo “; as 26 queixas contra o rei de Inglaterra, expressadas com vigor, seguem o estilo literário do século, concluindo que “ as colônias unidas devem ser independentes da obediência à Coroa de Inglaterra “. As mesmas queixas são endereçadas contra os próprios Estados Unidos, por vários povos e nações.


36 anos depois da independência, ocorre nova guerra dos Estados Unidos contra Inglaterra, último desentendimento da aliança que permanece até 2004, inclusive nos momentos difíceis. 


A Declaração é considerada pelos norte-americanos o ato jurídico de transformação das Colônias em estados livres, independentes da Inglaterra;  expressam o convencimento dos “ colonos “ de serem “ Ingleses nas colônias “; seus dirigentes cultivam afirmam não dever fidelidade ao parlamento inglês, nem a suas leis fiscais; qualificam de voluntária a obediência ao rei inglês.


Por seu lado, Inglaterra percebe na década de 1770 que as despesas da guerra 1693 – 1776 exauriram sua riqueza; inicia cobrança de impostos e de custos direitos nas colônias, entre outros sobre o chá e o correio. Insuma Inglaterra termina uma etapa de sua monarquia, enquanto França levanta dinheiro e o entrega em porto das colônias em 1780: dezesseis milhões de libras; com isso o chefe dos exércitos ganha a guerra no ano seguinte.


As colônias assim ganham status de independência, somente política.


A presente colocação nunca estará em realce nos manuais didáticos norte-americanos de história e civilização, que no ensino médio para 2004 abrangem 27 tópicos, desde 1773 até a guerra de Coréia, excluída a aventura do Viet Nam e outras.


Qual se tornou então a relação recíproca entre os novos estados? O congresso desde 1773 reúne-se anualmente, expressa diretrizes comuns às Colônias; mas demora até 1778 para formar uma união política mínima. Os estados pretendem continuar com a própria moeda e autonomia, mantendo as estruturas existentes de governo e de poder, agora independentes por inteiro e delegando poucos poderes à confederação. Até os impostos federais, legislação e arrecadação, os estados confederados guardam para si em 1778.


O território das colônias, ainda não conquistado, estende-se do Atlântico ao  Mississipi, dos Grandes Lagos ao norte até ao golfo do México; a informação não é de domínio público durante a guerra, nem depois do tratado de paz.


Nos, moradores de 2004, lemos com facilidade as mudanças ocorridas entre Estados Unidos e Reino Unido; e cada leitor pode arriscar sua previsão para os próximos 30 ou 50 anos.


· Artigos da confederação, 1778


Ainda durante a guerra, os desunidos estados da Costa Leste organizam sua união política. Várias normas permanecem na sucessiva constituição de 1787. Curioso é verificar que a confederação é organizada sem chefe do estado, sem chefe da Nação. O Congresso exercia tal função? O Congresso é a origem do poder. O documento manifesta ainda conflitos, existentes até hoje entre estados membros e união.


Condições estaduais


Os estados, antes da confederação são unidades políticas, administrativas e bélicas, organizadas com governador, corpo legislativo, judiciário, exército, moeda, proporcionados às dimensões do estado e à guerra do momento. Dotados de organização colonial, o governador do estado responde à coroa; no regime independente permanece o governador, que não responde a ninguém. Quando são escritos os Artigos do pacto de 1778, querendo manter suas prerrogativas, os estados esquecem ou se recusam a aceitar uma figura superior aos estados, ou não encontram a fórmula de manifestar a união. 


A confederação é, agora, congresso, exército, impostos. Único imposto federal é sobre a propriedade imobiliária, que não será confirmada na federação.


Como criar a confederação


Os constituintes repartem poderes entre os estados membros e o congresso confederado: relações internacionais, comerciais ou bélicas, são de competência do congresso, com deliberações tomadas por 9 estados; assim como orçamento de paz e de guerra, empréstimos, que já agora estão garantidos para o próximo regime político.


A arrecadação de impostos para a confederação, sobre o valor das terras em cada estado, é função estadual, assim como manter a quantidade mínima de armamento, milícia, concessão de cartas de rapina e represália, de acordo com as normas do congresso, cujos membros são juizes nas cortes para  controvérsias privadas e públicas. 


A finalidade da união é o bem-estar, a defesa comum contra invasões, que eles dizem por causa de religião, soberania e comércio. Agora, quem serão mesmo os invasores ?


Os direitos dos moradores livres, ou privilégios e liberdades, não são descritos ou enumerados na constituição 1778; são definidos como os mesmos para todos os moradores de um estado. Então a confederação não garante nada que cada estado membro já atribui aos moradores livres; isto é, a federação confirma que no estado escravizador há escravidão.


Em cada estado o morador desfruta dos mesmo privilégios, salvo o escravizado e o servo, que deve, ser presos e enviados de volta. Quem sai de um estado, perde ou ganha prerrogativas, quando é morador livre. Então, desde a afirmação que os homens nascem livres, lemos uma serie de afirmações que valem, para alguns.


Enfim o direito do morador livre é atribuído a ele pelo estado, bem ao contrário dos pressupostos da revolução francesa. Assim é plenamente justificada a escravização, a servidão a tempo, a servidão por 4 anos, a escravização até aos 28 anos, a escravização até aos 31 anos, a escravização de meninos, a escravização de quem nasceu nos Estados Unidos.


Escravizados e servos indicados acima não gozam do direito de sair de um estado para desfrutar dos direitos que outro estado oferece; são definidos como foragidos da justiça, mesmo não estando presos.


Somente podem sair de um estado para outro os moradores livres.


Ainda a fraqueza da confederação aceita que a polícia dos estados não escravocratas procure tais “ fugitivos “, para remete-los ao estado de origem. 


Conceitualmente primeiro há o estado; segundo o estado concede uns direitos a uns homens. Não é a melhor ordem de valores, pelo contrário.


A afirmação é tão pesada, a justificativa da escravização é tão ferrenha, que em 1860, além da guerra dos 500 mil mortos, provocou a cissão da Igreja Batista nos Estados Unidos em duas conferencias divididas até 2004, testemunhando que a escravização, fundamentada na confederação, não está resolvida nos Estados Unidos. Nas repetidas emendas a respeito da prática do voto dos antigos escravizados, congresso e legislativos estaduais chegaram ao delírio de aprovar redução de base eleitoral nos estados que cercearem o voto aos eleitores, que foram escravizados. 


·          Constituição dos Estados Unidos de América, 1787


A convenção detêm o poder e o reparte entre federação e estados membros.  A federação cobra impostos diretos por estado, na proporção dos moradores, abolida a cobrança sobre propriedade imobiliária. O texto enumera com clareza os poderes do congresso; com menor clareza apresenta as duas reformas monetária e financeira, com a tradicional afirmação que a dívida será paga pelo valor nominal, sempre superior ao valor de mercado.

Os convencionais instauram a figura do presidente federal, sujeito a acusação e processo, escolhido com procedimento indireto, substituível, comandante dos corpos armados, com poder de anistia e indultos; prepara tratados, de acordo com o senado; nomeia embaixadores, juizes e os funcionários federais, conforme lei. Não tem iniciativa legislativa, sanciona as leis aprovadas pelo congresso. A resolução de 14.9.2001 manifesta que o poder procede do Congresso federal. O congresso resolve atribuir ao presidente os poderes de guerra.


É instaurado o judiciário federal; surpreende a quantidade de normas processuais, em particular criminais, que revelam a preocupação penal dos convencionais com os moradores.


A federação mantém igualdade de direitos para todos os moradores livres dentro de um estado e a disparidade de direitos do mesmo morador em dois estados. Assim servos e escravizados não desfrutam dos direitos dos demais moradores, no estado que não admite escravização, que não será objeto de emenda nos próximos 20 anos, isto é, a escravização total é garantida até 1808.


Considerado que estão presentes na federação confissões religiosas cristas com passado de seculares lutas sanguinárias nos últimos cinco séculos, no reino Unido, é bom sinal ler que nenhuma afirmação religiosa é exigida para posse de um cargo federal, como pelo contrário era na colônia de New Jersey.


Os direitos garantidos aos moradores são mais penais que civis, testemunhando que os casos são mais penais que civis; no tempo de formação da propriedade na federação, o juiz mais atuante é o revolver.


A federação renova o acordo de perpétua união dos estados, com o patrocínio dos financistas e sob o comando do general. Permanece o Congresso como origem e fonte do poder, é criada a administração com seu chefe, o Presidente federal. Pensando em dinheiro, a divida federal será paga pelo valor nominal, superior ao valor de mercado daqueles anos. Moedas de ouro e prata são os meios de pagamento; a federação elimina as notas desvalorizadas, inclusive dos estados. 


O texto retrata pessoas sujeitas à lei dos pares e outras sujeitas ao lei comum: Índios e suas categorias, brancos, servos a tempo, escravizados, moradores dos estados membros, a categoria “ nos “ do preâmbulo, militares, piratas, comerciantes, navegadores, exportadores, traidores, candidatos, representantes, acusados e condenados à mutilação, morte, confisco, infâmia, religiosos, congressistas, alcoolizados, autoridades eleitorais, juizes, contribuintes; as situações nas quais atuam e as chances permitidas à cada um. No ano seguinte à ratificação, a constituição de sete artigos é modificada por dez emendas.


·          Ordenança do Noroeste, de 1787


Dois meses após a sofrida aprovação da constituição, por 38 em 74 representantes, em New York o governo Washington regulamenta em seis artigos a ocupação política e administrativa do território ao oeste dos montes Apalaches. A estrutura legislativa e judiciária sempre tem base no governador, que administra a assembléia, a corte, o secretário do legislativo, a milícia, para dividir o território em condados, distritos, de acordo com o povoamento.


O exército e a poupança nacional recolhida pelo governo vencerão os Franceses na Lusiana,  removerão os Índios até ao Mississipi e os Grandes Lagos, ocupando um milhão de quilômetros quadrados.


A Ordenança de Noroeste é o único documento das Leis Orgânicas com a palavra instrução, não havendo nunca educação.


A ordenança ainda determina que não haverá escravidão nos territórios de Noroeste, o que acontece de verdade somente 76 anos depois.


A prática religiosa livre é direcionadas mais às igrejas que aos moradores, aos quais são confirmados direitos em processo criminal e até no civil.


Terras e propriedades dos indígenas não serão invadidas, se não em guerra justa; não haverá escravidão nem trabalhos forçados, se não para sentenciados, mantendo a prisão de servos e escravos fugitivos.


·          Emendas à constituição, até 30.6.2004


Das 27 escritas nem todas são vigentes, nem por inteiro. Pode-se verificar sua vigência na tradução em duas colunas, esquerda vigente, direita não vigente. Todos sabemos que as duas emendas sobre bebidas alcóolicas perderam vigência.


As dez primeiras constituem, para alguns, a Declaração dos Direitos, metade das quais tratam de processo penal pela lei comum.


Qual é a relação entre a segunda emenda, do descontrole das armas, e o uso de armas nos filmes da televisão ?


As demais tratam de escravidão, voto, Presidente federal, e ainda de Congressistas, de bebidas alcóolicas, de impostos, sempre mantendo o Congresso como origem e fonte do poder. Não há emendas para variar os poderes do Congresso.


No século XIX são ratificadas 4 emendas; isso significa que os problemas são resolvidos com normas não constitucionais ou que a constituição abrange poucas matérias; é uma sobre presidente; mas notável é a serie de 3 emendas de 1865 –70, propondo solução ao conflito entre união e estados membros em matéria de voto aos escravizados. As emendas querem reforçar a abolição da escravização, não respeitada pelas autoridades dos estados escravizadores, que já conferem direito de voto aos antigos escravizados. As repetidas emendas nada solucionam. Solução constitucional ou solução policial ?


Sem esquecer o poder do Congresso em legislar matéria não debatida no mundo, oculta na seção 4 da emenda 25 de 1967: o vice presidente federal, em comitê com os secretários de departamentos, afasta do cargo o presidente federal por incapacidade, com o sucessivo consentimento do congresso, que legisla a respeito. Qual maior incapacidade de defender a federação, se não a catástrofe de 2001 ?


Em julho de 2004 o senado recusa aprovar emenda, proibindo duas pessoas do mesmo sexo constituírem família.


Nota especial merece o prazo de ratificação das emendas: sete anos no século XX. Fora da estatística o prazo de dois mil quinhentos meses de ratificação da emenda 27. Acredita ?


1789 – 2004 WASHINGTON, D.C.













































































































































EMENDAS



1



15.12.1791



direitos civis: religião, expressão; reunião, petição 



2



15.12.1791



executivo: corpos armados, armas pessoais



3



15.12.1791



executivo: corpos armados, aquartelamento



4



15.12.1791



processo penal: busca e apreensão  



5



15.12.1791



processo penal: civis; segundo processo; expropriação



6



15.12.1791



processo penal: júri; distrito; segundo processo, informações



7



15.12.1791



processo penal: júri; segundo processo



8



15.12.1791



processo penal: fianças, multas e penas



9



15.12.1791



direitos não escritos



10



15.12.1791



poderes reservados



11



07.02.795



judiciário: jurisdição 



12



15.06.1804



executivo: eleição do presidente federal e vice



13



06.12.1865



direitos civis: escravidão e trabalhos forçados



14



09.07.1868



direitos civis: cidadania;


processo penal;


direito eleitoral: representação do estado;


legislativo: candidato traidor;


executivo: dívida pública



15



02.03.1870



direito eleitoral: raça, cor, escravidão



16



03.02.1913



executivo: imposto de renda



17



08.04.1913



legislativo: senadores agora eleitos



18



16.01.1919



indústria, comércio, transporte: proibição de bebidas alcoólicas



19



18.08.1920



direito eleitoral: voto, sexo



20



23.01.1933



executivo: hora da posse do presidente; substituto



21



05.12.1933



indústria, comércio, transporte: liberação de  bebidas alcoólicas



22



27.02.1951



executivo: recondução do presidente



23



29.03.1961



direito eleitoral: voto no distrito federal



24



23.01.1964



direito eleitoral: taxa eleitoral e outras



25



10.02.1967



executivo: substituição do presidente incapaz



26



01.07.1971



direito eleitoral: idade do voto



27



07.05.1992



legislativo: nova remuneração dos congressistas




2. Cronologia em 2 páginas























































1620



Pacto do Mayflower: Para estabelecer colônia em Massachussets.



1775



Guerra contra Inglaterra até 1781. Ver o filme O Patriota



1776



Declaração de Independência em 4 de julho, agora festa nacional



1778



Aprovados os 13 Artigos da Confederação em 9 de julho



1787



Constituição assinada em Filadelfia. Há o presidente



1787



Ordenança do Noroeste regula a ocupação. Filmes de 1960



1789



Apresentadas Dez Emendas: 5 de direito penal; do exercito, da milícia e armas, direitos não escritos, religião; para liberdade de imprensa ver o filme Todos os homens do presidente



1795



Emenda 11. Jurisdição do Judiciário



1804



Emenda 12. Presidente federal e Vice: novo processo eletivo



1861



Guerra civil até 1865: 500 mil mortos. Ver o filme E o vento levou



1865



Emenda 13. Escravidão e trabalhos forçados: civis e sentenciados



1868



Emenda  14. Cidadania; penal; estado; traidor; dívida pública



1870



Emenda 15. Voto para quatro milhões de antigos escravizados.


Ver o filme Tempo de matar para combates raciais




 























1913



Emenda 16. Imposto sobre rendas de qualquer natureza



1913



Emenda 17. Senadores agora são eleitos 



1919



Emenda 18. Bebidas alcoólicas: proibição



1920



Emenda 19. Voto: sexo



1933



Emenda 20. Presidente: hora da posse; substituto




 



















































1933



Emenda 21. Bebidas alcoólicas: liberação



1951



Emenda 22. Presidente: recondução



1961



Emenda 23. Voto: moradores do Distrito federal



1964



Emenda 24. Voto: taxa eleitoral e outras



1967



Emenda 25. Presidente: substituição por incapacidade



1974



Presidente Nixon renuncia em agosto, acusado pela Câmara



1971



Emenda 26. Voto: idade



1992



Emenda 27 . Congressistas: maior salário após eleição


Proposta em 25.9.1789, Ratificada em 7.5.1992



1999



O Senado não alcança a maioria de 2/3 [vota 55/100 e 50/100] no impeachment do então presidente William Clinton



2000



Candidato Bush [50 461 080 votos] vence Gore [50 994 082 votos]



2001



Em 14.9 o Congresso autoriza o presidente a usar poderes de guerra



2004



Em julho Senado não aprova proposta de emenda, proibindo pessoas do mesmo sexo constituírem família




3. Cronologia em dez páginas











































 



PRIMEIRAS PRESENÇAS



1607



Minorias políticas e religiosas da Inglaterra e da Holanda desembarcam na costa leste das colônias;


alguns para plantar e vender tabaco



1620



Registro de escravização. 1.500 escravizados na África entram nas colônias a cada ano, ao longo do presente século



1620



Pacto do Mayflower de 11 de novembro


União política dos Peregrinos do pequeno navio Mayflower procedente da Inglaterra, redigido ao avistar a terra da colônia de Massachussets.


Confere raízes antigas à nação.



1625 



Holandeses fundam New York [New Amsterdã]



1639



Williams é condenado a viver na colônia como fugitivo entre os Índios. Com os amigos de Salém estabelece o núcleo de Providence Plantations. Funda assim a 1a Igreja Batista do Novo Mundo.



1655



Holandeses ocupam Delaware



1664



Ingleses desbancam Holandeses



1681



Mr. Penn na Pennsylvania



 



Sul e Norte organizam vida econômica diferente




 



































 



INDEPENDÊNCIA



1700



As colônias do sul são:


Virgínia, Carolina do Norte, Carolina do Sul, Georgia.


Ao norte New Hampshire, Massachussets, Connecticut.



 



Ao centro Rhode Island, New York, New Jersey, Pennsylvania, Maryland, Delaware, todas ao longo da costa Atlântica.



 



No século XVIII as colônias querem ocupar territórios além dos montes Apalaches, onde há mercadorias para comercializar.



1754



Benjamin Franklin vê rejeitada sua proposta de confederação



1767



O ministro inglês impõe novas tarifas de importação às colônias.


Os colonos suspendem as compras de mercadorias dos ingleses.


Prepara-se a guerra.



1767



Em Londres Benjamin Franklin declara que o parlamento britânico não tem direito de aumentar tarifas das colônias, as quais têm autogoverno, constituição e organização política própria.


E ainda, as colônia devem fidelidade ao rei e não ao parlamento.



1755



Índios atacam as fronteiras de Pennsylvania, que Benjamin Franklin (1706 – 90) recomendava armar para defesa.




 


A matéria acima não está no curriculum de estudo de história no segundo grau federal.



















































1773



Companhia das Índias orientais envia chá ao porto de Boston, onde é jogado ao mar.



 



O Parlamento inglês declara nula a constituição do estado, envia 4 regimentos a sitiar Boston.



1774



Fundado o Bostonbank



1774



Em Filadelfia o Congresso das 13 colônias endereça um memorial ao rei, um manifesto ao povo inglês, comunicando desejo de união com



 



Inglaterra, pedindo suspensão das decisões do parlamento inglês,


exigindo auto governo; prometendo interromper o comercio.



 



O memorial ao rei não foi respondido.



1775



Parlamento inglês declara Massachussets em estado de sedição, proíbe o trafego marítimo.



1775



GUERRA até 1781 contra Inglaterra, chamada pelos norte-americanos de “ guerra da revolução ”.



 



Primeiras batalhas perto de Boston



 



Moradores das colônias não estão unidos, nem os estados; há razões por exemplo comerciais para continuar com Inglaterra e razões opostas, como o povoamento das colônias, a perda de poder de Inglaterra pela guerra 1693 – 1773



1775



Em Filadelfia o 2o Congresso das colônias


. cria o exercito, confia o comando a Washington (1732 – 1799)


. não divulga o propósito de separar-se da Inglaterra



1775



Contra o Canadá é o primeiro ataque do novo exército, a primeira derrota, em 31.12 por Quebec




 































1776



Inglaterra envia soldados



 



Nas colônias do sul há pouco interesse em separar-se da Inglaterra.



 



No Congresso de 1776 em Filadelfia, o democrata Jefferson (1743 – 1826) apresenta declaração de independência: pelo direito internacional, as colônias são estados independentes, devem sê-lo também juridicamente; como emigrantes britânicos, desfrutam natural direito de liberdade na América; obediência ao rei  é voluntária; o rei George III desfez o pacto com o povo americano.



 



Jefferson prepara ainda o rascunho da Ordenança do Noroeste, recomendando que na haja escravidão após 1800. Na pratica o documento exclui desde já a escravidão, o que aconteceu após 1863.



 



Os representantes do povo [não dos estados] garantem a declaração com suas vidas, bens e honra.



1776



O texto da constituição de Virgínia de 12 de junho é precedido da Declaração dos Direitos



1776



Declaração de Independência, 4.7.1776:


é o ato de transformação das Colônias em estados livres, independentes de Inglaterra e entre si. Revela a relação entre os dois países e o oposto papel de momento dos norte-americanos em 2004.




 











 



CONFEDERAÇÃO



1778



Franceses auxiliam as antigas colônias, aliam-se com espanhóis e holandeses para golpear a Inglaterra, ocupada na guerra colonial




 















1778



13 Artigos da Confederação ratificados em 9 de julho; a 1a  constituição, palavra não aceita pelos norte-americanos, que apresentam a confederação como algo a ser aperfeiçoado pela federação seguinte, o regime sem erros.



 



Continuando a guerra, os estados da costa leste organizam sua união política sem pressa.



 



O Congresso é a origem do poder. Não há administração pública, nem poder executivo. Nem chefe da nação.




 











































 



FEDERAÇÃO



1780



A França de Louis XVI empresta e em parte oferece  dezesseis milhões 16.000,000 de libras. Washington “reforça” o exercito



1781



Termina a guerra iniciada em 1775, que as escolas norte-americanas nomeiam de “ guerra da revolução “.



1782



Inglaterra vencida reconhece independência das colônias



 



Motins nas forças armadas dos estados confederados e inflação !



1786



Os artigos federalistas, em particular 1 a 5, são tópico de estudo na 2o grau norte-americano



1787



Constituição federal,


pela escola norte-americana é a criação da 1a constituição; interpreta o Preâmbulo como paráfrase, assim como parte do artigo I, separado em seção 1 a 6, os órgãos legislativos; 7 e 8, poderes; 9 e 10 escravização e miscelânea.


Em Filadelfia 38 dos 72 delegados estaduais constituintes assinam a constituição na segunda feira, 17.9. A noite é publicada no diário local.



1787



Ordenança do Noroeste. O governo organiza a ocupação do Meio Oeste. Único documento das Leis Orgânicas com a palavra instrução



1788



Constituição ratificada em 21 de junho



1789



Washington eleito 1o presidente federal




 











 



CARTA DOS DIREITOS



1789



Dez Emendas apresentadas juntas em setembro, 15 meses após ratificação, 2 anos após assinatura da constituição.




 















1789



Emenda 1. Direitos civis: religião, expressão; reunião, petição


Emenda 2.  Milícia; posse e porte de armas


Emenda 3. Aquartelamento do exército


Emenda 4. Investigações criminais: busca e apreensão


Emenda 5. Processo penal: civis e militares; segundo julgamento; expropriação



1789



Emenda 6. Processo penal: júri; distrito; 2o processo, informações


Emenda 7. Processo penal: júri; segundo processo


Emenda 8. Processo penal: fianças, multas e penas


Emenda 9. Direitos do povo: enumeração e limitação


Emenda 10. Direitos não escritos da federação e dos estados membros



 



É a Carta dos Direitos, vigorará desde dezembro de 1791




 























































1789



General Washington é 1o presidente da federação, renova até 1797



 



Secretário de finanças, Alexandre Hamilton representa industria e comercio do norte; é depositário de bastante títulos do tesouro.



 



Preparou o artigo 5 da constituição, da dívida pública, cujos papeis estavam em seu Bank of New York, existente até hoje (30.6.2004).



 



Constituinte dos quatro por New York, é o único firmatário.



1791



Maryland cede terras para formação do Distrito federal



1791



Antes do Natal, são ratificadas as Emendas 1 a 10



 



termina a construção da federação



1792



Washington, reconduzido presidente, estabelece novos tratados comerciais



1793



Na guerra dos Europeus contra a França Napoleônica, a federação apoia Inglaterra, declarando neutralidade em abril



1794



A federação assina com Inglaterra tratado de amizade e comercio em novembro. Nos dois episódios os Franceses são surpreendidos



1795



Emenda 11. Jurisdição do judiciário


Proposta em 4.3. 1794, ratificada em 7.2.1795



1796



4 milhões são os moradores da união



1798



Formação dos partidos políticos, Hamilton versus Jefferson, Quando os Democratas eram Republicanos são tópicos de história para o 2o grau da federação.




 































































































1801



Agora presidente é democrata: duplo mandato de Thomas Jefferson.


Ele compra a Lousiana em 1803.



1804



Emenda 12. Presidente & Vice: outro processo seletivo


Proposta em 9.12.1803, ratificada em 15.6. 1804



1807



O interior empobrece



1809



Até 1825 continua o governo democrata



1812



GUERRA de Estados Unidos contra Inglaterra até 1815, a Segunda guerra de independência, nas escolas norte-americanas



1813



Norte-americanos na guerra tentam sem sucesso ocupar o Canadá



1814



Ingleses atacam, em agosto incendiam Washington



1814



em dezembro é assinada a paz em Genebra: as partes renunciam a suas conquistas



1814



A letra do hino nacional, em setembro, é escrita por Francis Scott Key em Baltimore, durante o final da guerra com ingleses



 



O incremento dos impostos após 1815 garante recursos ao governo para pagar as despesas de guerra



1822



Florida incorporada à união



 



No Norte há industriais, comerciantes e operários, empreendedores que desejam igualdade de direitos políticos. No sul há incremento da população escravizada, então estimada em 1 milhão e meio



 



A importância política do sul diminui, pelo crescimento econômico do norte. Em 1820 são 90 os representantes do Sul, 133 do norte.



1819 ~



Compromisso de Missouri: escravização é permitida abaixo dos 36o e 30’, isto é: Carolina, Georgia, Alabama, Mississipi, Arkansas.



1826



Cancelados os Índios ao oeste do Mississipi.



1828



Os novos democratas radicais operam no sul



 



Escravizados fogem das plantações


Intelectuais pedem fim da escravidão



1835



O presidente federal general Jackson propõe lei, vetando a divulgação de escritos a favor da escravidão, em dezembro



1836



O Congresso decide não considerar nenhuma proposta sobre escravidão, em 26 de maio



1837



O presidente democrata eleito, ainda em campanha, se comprometia a não examinar nenhuma proposta sobre escravidão.



 



especulação do capital inglês, produção de algodão excessiva, paludismo nas plantações, criam crise financeira, debitada aos democratas



1840



Os Batistas norte-americanos discutem perspectivas da escravização.


Richard Furman, pastor da Igreja Batista da Carolina, presidente da Convenção batista da Carolina do sul, representa a maioria dos Batistas no sul.  “ O próprio Deus encarregou os Cristãos a manter a escravização como comando bíblico. “



1841



restauração do Banco Nacional, o presidente é contra




 















1842



Políticos abraçam a idéia de expulsar os escravizados norte-americanos para África, entre eles o advogado Abraham Lincoln.


Outros pensam neles como cidadãos norte-americanos.



1846



GUERRA com México até 1848, pela admissão do Texas na união



1848



Continua a imigração de Irlandeses, após as más colheitas de batatas; Alemães, Ingleses, Franceses também.




 























































































1850



Califórnia na união, isenta de escravidão, como o distrito de Colômbia.


Corrida ao ouro !



1853



O Congresso aprova admissão de Kansas e Nebraska na união, permitindo aos dois decidir sobre escravidão



1857



Preparando a guerra civil: O presidente democrata Buchanan apoia sulistas que querem dissolver a união.



1860



Grande parte das armas pesadas são transferidas nos arsenais do Sul; a armada disseminada entre todos os portos.



1860



A bagagem do pastor Thomas J. Bowen procedente do Rio de Janeiro com destino à Georgia, é retida no porto de Baltimore, até 1864



1860



Antes do Natal, Carolina do Norte se separa da união



1861



O Congresso dos separatistas em Montgomery cria a Confederação, promulga sua constituição, elege seu presidente. Lincoln assumiu uma semana antes. Mais dez estados sulistas estão separados em maio.



1861



GUERRA CIVIL de 500 mil mortos, ver o filme E o vento levou.


Dura até 1865 com a vitoria dos nortistas


Logo em julho, a federação sofre derrota em Bull Run.



1862



Ano favorável aos confederados, salvo no oeste



1862



Lincoln ameaça abolir a escravatura se os estados sulistas não se submeterem à união, em 22.9. Isso provocaria a fuga dos escravos recrutados, prejudicaria totalmente os exércitos do sul.



1863



Num ato bélico, em nada humanitário, Lincoln decreta abolição



1865



Red Skin cancelados. Territórios dos Índios eliminados.



 



No século XIX é ratificada uma emenda; agora serão 3 em cinco anos



1865



GUERRA CIVIL com quinhentos mil mortos;


fim da guerra com pilhagem e corrupção: ver o filme E o vento levou.


Motivo da guerra foi a escravização; a vitoria é dos nortistas.


Não há reconciliação civil norte – sul.


A Igreja Batista divide-se em duas conferencias, até 2004



 



O presidente democrata Jonhson readmite os sulistas na federação.



 



Republicanos não concordam, querem negar o voto aos sulistas.


Republicanos reconstruem o Sul: expurgam as elites políticas do sul,


aceitam aventureiros colaboracionistas nos governos do sul.



1865



Emenda 13. Escravidão e trabalhos forçados: civis e sentenciados


Proposta em 31.1. 1865, Ratificada em  6.12.1865



1865



Após a guerra, o ku klux klan age abertamente no sul



1865



Vanderbilt e Rockfeller fundam seus impérios fornecendo equipamentos bélicos ao governo. O norte lucra com a guerra.


Inglaterra paga quinze milhões de dólares em reparos de guerra.



 



Nas escolas norte-americanas é chamada “ A idade dourada “



1867



Estados do sul reconhecem direito de voto aos antigos escravizados em suas nova constituições.




 



































































































1868



Emenda  14. Cidadania, penal, estado, traidor, dívida pública


Proposta em  13. 6. 1866, Ratificada em 9 .7.1868



1869



Índios são expulsos de todos os territórios



1869



Trem bioceânico: ligação ferroviária Atlântico Pacífico



1870



Emenda 15. Voto, raça cor, escravização


Proposta em 26.2.1866,  Ratificada em 3.2.1870



 



O direito de voto a quatro milhões de antigos escravizados descontenta os escravizadores, que criam a associação secreta KKK



1876



eleição duvidosa – violências nas campanha eleitorais



1880 ~



Tropas federais de ocupação saem dos estados sulistas.



 



Sulistas, após a temporada de aventureiros, voltam a governar o sul.


Contornam as leis de igualdade racial e de não segregação



1881



Nascem sindicatos de operários.


Corrupção na administração: o presidente Garfield a combate; morre em atentado em Washington em setembro



 



assume o vice, Arthur cúmplice dos abusos dos republicanos na administração



 



Os republicanos votam aposentadoria para os veteranos do golfo, perdão da guerra de 65: custa cem milhões de dólares ao ano.



1882



O congresso torna-se dos democratas



1883



O congresso limita os abusos dos republicanos



1884



Liberdade ao comercio, reprimindo os abusos, não deu resultados



1890



Diminui a importação da Europa, aumentando as tarifas de importação



1890


 



As tarifas aduaneiras entre estados favorecem a industria,


prejudicam agricultores do sul e do oeste



 



Imigração européia continua. Trabalhadores imigrados morrem às centenas por falta de ventilação, nas casas a eles destinadas em New York



1890~



Trusts multiplicam-se



1893



Greve dos ferroviários em Chicago. Mortos



1893



mal-estar financeiro da união, prodigalidade do congresso, menores receitas da alfândega, déficit em balanço



1894



O maior déficit no balanço federal



1894~



crise no comercio, falência de bancos, ferrovias; greves com mortes



1898



A guerra Estados Unidos contra Espanha, ocupação das Filipinas


O problema em Porto Rico. Interesses norte-americanos em Cuba


Criado o tribunal internacional em Den Haag, Holanda



 



“ Do isolacionismo ao imperialismo “ assim é dito nas escolas norte-americanas




 











































































 



SÉCULO XX



1906



Abre a primeira pizzaria napolitana em New York



1913



até 1921 o governo federal diminui as tarifas de importação



1913



Emenda 16. Imposto sobre rendas


Proposta em 12.7.1909, Ratificada em 3.2.1913



1913



Emenda 17. Senadores agora eleitos


Proposta em 13.5.1912, Ratificada em  8.4.1913



1917



Em abril a federação participa da guerra contra Alemanha, iniciada em 1914, que termina em novembro de 1918



1919



Senado não aceita o tratado de paz assinado pelo Presidente federal



1919



A federação não participa da Sociedade das Nações



1919



Emenda 18. Bebidas alcoólicas, proibição


Proposta em 18.12. 1917, Ratificada em 16.1. 1919


Revogado pela seção 1 da emenda  XXI



1920



Emenda 19. Do voto feminino


Proposta em 4.6.1919, Ratificada em 18.8.1920



1920~



A caminho da falência. Concentração da industria, comercio, finanças



 



Os Estados Unidos são credores do mundo em oito bilhões de dólares



1921



“ Governo de juizes “, assim o francês Edouard Lambert, primeiro, define a atuação da Corte Suprema



1924



aumentam as tarifas alfandegárias, imigração é cortada



 



Ku klux Klan age no sul, ver o filme Tempo de matar



1929



quebra da bolsa em 24.10, sete milhões desempregados. Nas escolas norte-americanas é dita “ A grande depressão “ 



1933



Emenda 20. Presidente, hora da posse; substituição


Proposta em 23.1932, Ratificada em 23.1.1933



 



A campanha do governo é “ Um novo negócio “




 














































































1933



Franklin Delano Roosvelt é eleito presidente, renova até 1945, falecendo no cargo em abril. Hitler é matado uma semana depois.



1933



Emenda 21. Bebidas alcoólicas, liberação


Proposta em 20.2. 1933, ratificada em 5.12.1933



1935



O governo de Roosvelt relança a campanha “ Um novo negócio “



1940



“ Sabemos que o desemprego é grande entre vocês “ diz em abril de 1940 em Roma o chefe dos católicos à seus fieis de New York



1941



em dezembro Roosvelt abre guerra na Ásia e Europa



1945



morto Roosvelt, Truman explode atômicas no Japão em agosto



1951



Emenda 22. Do Presidente, recondução


Proposta em 21.3.1947, Ratificada em 27.2.1951



1961



Emenda 23. Do voto no Distrito federal


Proposta em 17.6.1960 Ratificada em 29.3.1961



1963



Presidente federal assassinado no Texas



1964



Emenda 24. Taxa eleitoral


Proposta em 27.8.1962, Ratificada em 23.1.1964



1967



Emenda 25. Presidente incapaz


Proposta em 13.4.1965, Ratificada em 10.2.1967



1974



Presidente Nixon renuncia em 8 de agosto, para não enfrentar processo de impeachment



1971



Emenda 26. Do voto, idade


Proposta em 23.3.1971, Ratificada em 1.7.1971



1992



Emenda 27 . Salário dos congressistas


Proposta em 25.9.1789, Ratificada em 7.5.1992



1999



O Senado não alcança maioria no impeachment do então presidente



2000



Bush com 50 461 080 votos é presidente contra Gore com 50 994 082



2001



Em 14.9 o Congresso autoriza o presidente a usar poderes de guerra



2004



Em julho o Senado recusa proposta de emenda que proíba pessoas do mesmo sexo constituírem família.



Foram acrescentados tópicos do curriculum de história do 2o grau norte-americano, história do governo federal, em larga parte; guerras, leis, política e negócios. Os curricula de outros sistemas de ensino incluem mais itens. Desde 1773 até 1958 somente. Então não há informação dos recentes 45 anos !




3. Conclusão


Dois são os períodos da construção constitucional dos Estados Unidos.


1.      A estruturação política é concluída entre 1773 e 1791, expressada na Declaração de Independência, Artigos da Confederação, Constituição da Federação, Ordenança para o Noroeste e 10 emendas;


2.      O primeiro período da escravização termina com o decreto de abolição de 1862, que é um ato de guerra do presidente federal, que deu ganho de guerra ao norte, os federalistas. Tinha iniciado em 1619 quando norte-americanos “ compram “ de comerciantes holandeses os primeiros 4 escravizados.


A emenda de 1870 visa a refundação da federação porque define:


. de novo o cidadão, seus direitos estaduais, inclusive penais;


. a nova representação no congresso;


. penaliza o estado por cerceamento de voto,


. admite sulistas a todos os cargos mediante o perdão da traição;


. sobretudo porque redefine a dívida pública federal, 


. confirma o poder do congresso em legislar a esse respeito.


Em 2000 não terminou o segundo período, de 1863 até 2004 marcado por:


. três emendas inúteis da década de 1860 sobre voto aos antigos escravizados,


. a emenda 24 de 1964, que testemunha cerceamento do voto.


. O século XXI inicia com os devedores democratas de multas de trânsito na Flórida impedidos de votar, em novembro de 2000.


O Congresso e a federação são impotentes a resolver a escravização, por via constitucional ou não e é claro que desistiu de usar a via constitucional.


Outras vias, do legislativo, do executivo, do judiciário, se foram tentadas, não produziram resultados. Alternativa é acionar o poder de polícia?


Mas na democracia, o xerife é nomeado pelo executivo.


O que esperar então nas eleições federais de 2004 até 2034, a respeito das diferenças raciais ?


Candidatos e seus grupos de apoio terão motivos de


“ com o máximo de minhas capacidades, preservar, proteger e defender a constituição dos Estados Unidos de América e suas emendas.” ? 


2. Convenção & Ratificação


5. O Congresso e os Estados


6. Presença dos convencionais


7. Votos na independência


8. Os signatários. Quem são? Têm dinheiro?


9. Perfil humano                                            


10. Aprovação                               


11. Duas interpretações econômicas         


12. Ratificação                                                              


13. Calendário da ratificação                   


14. Comparação com ratificação das emendas


5. O Congresso e os Estados


O Congresso define para janeiro de 1787 em Filadelfia a convenção dos 13 estados confederados New Hampshire, Connecticut, Massachusetts-bay, Delaware, Maryland, Virginia, New York, Pennsylvania, North Carolina, Rhode Island, New Jersey, South Carolina, Georgia para organizar a união num regime novo. Os estados enviarão à convenção 72 delegados estaduais, como no congresso.


Falta um estado


O estado confederado de Rhode Island não envia os dois representantes de direito, nem há registro de votos dados por este estado.


Os convencionais são nomeados pelo Executivo estadual, composto pelo governador, nomeado pelo Congresso, e pelo corpo legislativo, que o governador controla na prática e por via administrativa.


Não há exercício do voto popular em 1786; haverá voto popular com os limites de censo, para formação das convenções estaduais de ratificação da constituição, em alguns estados.


6. Presença dos Convencionais


Há sessão da convenção de janeiro até abril, sem conclusão.


As atividades recomeçam em maio. Dos 72 convencionais nomeados, são 53 os presentes à sessão conclusiva de maio a setembro. A isenção de impostos, a garantia das propriedades, inclusive sobre os escravizados, o saneamento da moeda, o pagamento da dívida pública federal pelo valor integral não seduziram 15 convencionais que não assinaram o texto em setembro.


Portanto são 34 ausentes em setembro, no dia do voto, devido a compromissos pessoais, comerciais, financeiros, de tráfego marítimo, manufaturas, comércio de peles com os Índios, especulação em terras, empréstimos financeiros, administração de títulos em depósito, políticos e de administração dos estados.


Mais dedicado à convenção é Alexandre Hamilton de New York, que permanece afastado do seu Bank of New York, assim merecendo tornar-se secretário de finanças do primeiro governo.


7. Votos na Independência


54 delegados tinham assinado em 1776 a Declaração de Independência, quando houve um ausente, representando assim os estados membros:


NEW HAMPSHIRE             3


CONNECTICUT        4


MASSACHUSETTS-BAY      4


DELAWARE                     3


MARYLAND                     4


VIRGINIA                       7


NEW YORK                     4


PENNSYLVANIA               9


NORTH CAROLINA   3


RHODE ISLAND               2


NEW JERSEY           5


SOUTH CAROLINA    4


GEORGIA                       3


13 estados                     54 representantes      na independência


A Pennsylvania dispõe de 9 votos, um dos quais não será utilizado em setembro pelo presidente da convenção, o general.


Três são os votos atribuídos ao Delaware em 1776 e cinco as assinaturas dadas. Delaware teria ganho dois convencionais? Não são os de Rhode Island?


Ou ainda, sem os dois votos, a convenção deliberaria por 36 votos em 72 convencionais?


8. Os signatários


Advogados, 22 em 38 são advogados!


A maioria mora em cidades da costa ou próximas, onde os bens imóveis são concentrados.


Com qual idade?


10 têm menos de 35 anos: é o 25 %


13 têm menos de 40 anos: é o 33 %


23 têm menos de 45 anos: é o 56 %


Idade media de vida é 63 anos para eles:


os convencionais têm completado 71 % de sua vida.


Quem representam?


Os convencionais representam possuidores e detentores da dívida pública;


80 % deles são beneficiários das deliberações constitucionais.


Nenhum convencional representa pequenos fazendeiros ou trabalhadores.


A dívida pública será paga pela federação pelo valor total, 100 %, em quanto o mercado está pagando menos. Quem pagará a diferença de valor ?


Eles têm dinheiro?


O departamento do tesouro dos Estados Unidos informa o nome dos convencionais que são titulares de títulos públicos, em duas categorias:


– nove detém o valor de até 100.000 $ (cem mil dólares) de 1787:


Basset do Delaware, Brearly de New Jersey, Broom de Delaware,


Butler de South Carolina,  Carroll de Maryland,  Few da Georgia,


Alexander Hamilton de New York,  L. Martin,  Mason da Virgínia


– vinte e três detém o valor acima de $ 5.000,00 (cinco mil dólares) de 1787; são Baldwin da Georgia,  Blair de Virgínia,  Clymer da Pennsylvania,


Dayton de N. Jersey,  Ellsworth de Connecticut , Fitzsimmons de Pennsylvania


Gilman, Gerry, Gorham os três de Massachussets,


Thomas Jennifer de Maryland,  Johnson de Connecticut,


King de Massachussets, Langdon de Massachussets, Lansing de New York, 


Livingston de New Jersey, Mac Lurg de Virgínia , R. Morris de Pennsylvania,


C.C. Pinkney de South Carolina,  C. Pinkeney de South Carolina,


Randolh de Virgínia, Sherman de Connecticut, Strong de Massachussets,


Washington de Pennsylvania, Wiliamson de North Carolina.


9. E agora um perfil mais humano dos convencionais reunidos em Filadélfia,


com indicação do estado mandatário e o voto dado ou negado à constituição federal.


NEW HAMPSHIRE     2 sim,  0 não


YES       JOHN LANGDON, 46 : 1741-1819


Possui fortuna no comércio e indústria, transporte marítimo;


é liberal, de bons conhecimentos.


Governador do estado, chefe de partido poderoso, oposto ao general Sullivan. É dos principais membros da Convenção de Filadélfia; recusou a presidência, por ocupar-se de seu comércio e do governo de estado.


Amigo da França, importava ótimas mercadorias de Paris.


Possuidores de mais de cinco mil dólares em títulos da dívida pública. Pessoalmente interessado no pagamento integral da divida publica.


Empresta dinheiro a juro; especula.


YES       NICHOLAS GILMAN, 32 : 1755-1814


Modesto, gentil, sensível. Caráter não brilhante nem forte, mas respeitável e digno. Ambicioso, pouco amado pelos colegas.


Possuidor de mais de cinco mil dólares em títulos da divida publica.


Especula em terras. Empresta dinheiro a juro.


MASSACHUSSETS     2 a 2


SIM        NATHANIEL GORHAM, 49 : 1738-1796


Mercante em Boston, ótima reputação; representa os moradores do interior.  De bom senso, não tanto educado. Eloqüente e desenvolto no debate, deselegante. Visa sempre a própria conveniência, ninguém é mais perspicaz. Presidente do Congresso, durante 3 anos no Legislativo.


Possuidor de mais de cinco mil dólares em títulos da divida publica.


Especula em terras


SIM        RUFUS KING, 32 : 1755-1827


Eloqüente, talentoso, educado em Massachusetts  de forma clássica e jurídica. 3 anos no Congresso federal com grande atuação; representa moradores do interior. Alto, bem formado, voz doce e alta. Expressivo, convincente, rápido, não sempre igual. Entre os Luminares da época.


Possuidor de mais de cinco mil dólares em títulos da divida publica. Pessoalmente interessado no pagamento integral da divida publica.


Empresta dinheiro a juro. Investe em comércio, manufatura, transporte marítimo.


NÃO       ELBRIDGE GERRY, 43 : 1744-1814


Integro. Presidente do Congresso.


Trabalhador e hesitante, profundo nas matérias, sem elegância. Expressa amor pela Pátria. Educado nos princípios e nos modos.


Atua no comércio, é dono de imóveis. Baixinho, conhece os negócios públicos.


Possuidor de mais de cinco mil dólares de títulos da dívida pública. Pessoalmente interessado no pagamento integral dos títulos da divida publica. Especula em terras. Investe em comércio, manufatura, transporte marítimo.


NÃO       CALEB STRONG, 42 : 1745-1819


Advogado de alguma projeção, liberal, de bons relacionamentos.


Fraco como presidente do Congresso. Bem considerado pelos colegas.


Possuidor de mais de cinco mil dólares em títulos da divida publica.


É pessoalmente interessado no pagamento integral da divida publica


CONNECTICUT 2 a 1


SIM        WILLIAM SAMUEL JOHNSON, 60 : 1727-1819


Dos clássicos de América pelo conhecimento jurídico, compreensão iluminada e alta. Orador não extraordinário. Voz desagradável, mas eloqüente e claro, abunda na informação. Doçura do temperamento e estilo afetuoso.


Já agente por Connecticut de reclamações de terras na Câmara dos Comuns em Londres, digno: seu nome durará além de sua vida.


Possuidor de mais de cinco mil dólares de títulos da dívida pública. Pessoalmente interessado em seu pagamento integral.


Empresta dinheiro a juro.


SIM        ROGER SHERMAN, 66 : 1721-1793


Político habilidoso. Juiz da corte de Connecticut, correto em suas obrigações. Membro do Congresso.


Possuidor de mais de cinco mil dólares de títulos da dívida pública, interessado em seu pagamento integral.


NÃO       OLIVER ELLSWORTH, 42 : 1745-1807


Membro do Congresso. Juiz da suprema corte de Connecticut.


De entendimento profundo, eloqüente no debate, atento a suas obrigações. Feliz em replicar. Sabe escolher a parte fraca dos argumentos dos adversários. Impressiona seu modo de retirar a força deles, só admite o próprio poder. Respeitado pela integridade, venerado pelas capacidades. Simples.


Em Connecticut a situação é boa, sem opulência. A economia rural e a industria local têm crescido rápido aqui. O povo é feliz.


Possuidor de mais de cinco mil dólares de títulos da dívida pública, pessoalmente interessado em seu pagamento integral.


Empresta dinheiro a juro. Investe em comércio, manufatura, transporte marítimo.


NEW YORK 1 a 2


SIM        ALEXANDER HAMILTON, 33 : 1754 – 1804


Coronel Hamilton é celebrado por seus talentos.  Advogado erudito. Dono do Bank of New York, existente em 2004.


Julgamento claro e forte. Argumenta com violência, não pela razão. Voz fraca. Formidável orador e presidente do Congresso. Precisa de tempo para pensar, examina a matéria por todo ângulo. Linguagem não sempre igual,  as vezes didática.  Absorve toda a atenção. Baixinho magro. Maneiras rígidas, por vez com vaidade desagradável. Intrépido. Defensor extremo da constituição.


Muito afetação e pouca prudência.  Autor de O Federalista. Sua eloquência é freqüentemente fora de lugar no debate. Natural da Jamaica criado pela caridade, estrangeiro em New York; raptou a filha do general Schuyker, dono de muitas terras. Morreu aos 49 em duelo.


Em O Federalista, 1786 e 87 o mundo de Hamilton são credores e devedores, interesses da terra, da manufatura, mercantis e monetários.


“ Nações fazem guerra quando prevêem ganhar algo “ em O Federalista.


Possuidor de mais de cinco mil dólares e até cem mil dólares em títulos da dívida pública, é interessado no pagamento integral. Especula em terras.


NÃO       JOHN LANSING, 33 : 1754-1829


Advogado atuante em Albany, presidente da Ordem. Hesita discursando, pretende ser orador de alguma importância. De limitado conhecimento jurídico, sua educação não é boa. Homem de bom senso, simples de modo, sincero nas amizades.


Possuidor de títulos da divida publica em mais de cinco mil dólares, pessoalmente interessado em seu pagamento integral


NÃO       ROBERT YATES, 63 : 1724-1796


Juiz capaz, de grandes habilidades, não é orador. Uns inimigos o dizem anti federalista. De muita saúde.


NEW JERSEY   4 a 1


Informações Sobre o Autor

Attilio Faggi


Você gostaria de ajuda na escrita ou revisão do seu trabalho? Clique aqui para trabalhar diretamente com os melhores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

LEITURAS RECOMENDADAS

A importância de um departamento jurídico para startups

Você gostaria de ajuda na escrita ou revisão do seu trabalho? Clique aqui para trabalhar diretamente com os melhores. Vanessa Muglia, CLO e cofundadora da BHub, dá dicas sobre como lidar com aspectos jurídicos e legais fundamentais para o funcionamento